Em depoimento à Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga suposto crime extorsão envolvendo o vice-prefeito Alexandre Zeitune (Rede), o empresário Marco Antônio Ferreira, apontado como “operador” nos áudios que desencadearam a abertura da comissão, confirmou a veracidade da foto do dinheiro em que aparece Zeitune e que foi publicada com exclusividade pelo HOJE.

Ele prestou depoimento por mais de uma hora e meia à comissão no plenário da Câmara nesta terça-feira (17).

“Eu estava presente no momento da foto”, respondeu Ferreira à pergunta do relator da comissão, vereador Eduardo Carneiro (PSB). O suposto “operador” disse ainda que o dinheiro foi pago ao vice-prefeito pelo empresário Paulo Zhu por “pagamentos de serviços prestados”. “Acredito que de consultoria ou até aquisição de uma empresa”.

Ainda assim, Ferreira não soube dizer se existe algum contrato de serviço ou recibo a resposto de prováveis prestações de serviços entre Zeitune e Paulo Zhu.

Ao responder questionados do advogado Leonardo Freire, representando a Rede durante o depoimento, Ferreira voltou a mencionar a foto publicada na capa do HOJE, na edição desta terça-feira (17). “Estranhei o pagamento [feito por Paulo Zhu] em cédulas de valores tão baixo, mas não questionei”. Pela foto, os maços são supostamente de cédulas nos valores de R$ 10 e R$ 20.

Ferreira ainda negou que seria o responsável por organizar as campanhas de Zeitune ao governo do estado de São Paulo e da presidenciável Marina Silva, presidente nacional da Rede. Garantiu que não conhece Marina e que é apenas um “fã”.

Ele atribuiu a Zhu a responsabilidade de qualquer assunto relacionado a doação de valores para as campanhas de ambos. Segundo Ferreira, era o empresário que manifestava interesse em colaborar tanto com Zeitune quanto com Marina. Mas, não revelou por quais motivos ele teria o interesse em custear as campanhas.

 

Comissão deve convocar a presidenciável Marina Silva

 

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) irá definir na próxima reunião, na terça-feira (24), a possibilidade de convocar a presidenciável Marina Silva (REDE) citada em um dos trechos do áudio que desencadeou a abertura da comissão.

“Ela foi citada (…)R$ 5 milhões ou R$ 7 milhões, ou vice-versa, seria parte pra ela. Guarulhos é uma das maiores cidades do país, e do ponto de vista econômico e eleitoral, acho extremamente pertinente que uma presidenciável com grandes chances de ser eleita em nosso país seja convocada para depor”, declarou o relator Eduardo Carneiro (PSB).

Já o vereador Marcelo Seminaldo (PT), presidente da comissão, ressalta que nem mesmo o fato da citação é motivo para que possa ser convocados para prestação de esclarecimentos sobre o caso. Ainda assim, o petista deixou para que a decisão de convocar ou não a presidenciável Marina Silva para depor seja tomada por todos os integrantes da CEI.

O HOJE procurou a assessoria da presidenciável Marina Silva para comentar o assunto, mas não obteve resposta.

Antônio Boaventura

antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here