Fluxo de veículos em estradas pedagiadas cai 0,3% em outubro ante setembro

Foto: Divulgação

O fluxo total de veículos em estradas pedagiadas no País caiu 0,3% em outubro na comparação com setembro, na série com ajuste sazonal, informaram nesta quarta-feira a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) e a Tendências Consultoria Integrada. O resultado marca a segunda queda consecutiva na margem. O Índice ABCR dessazonalizado, que mede o fluxo de veículos, caiu a 151,20 pontos e ficou 3,0% abaixo do nível pré-pandemia de fevereiro de 2020.

A contração do indicador na margem é puxada por uma queda contida entre os veículos leves (-0,1%), já que os pesados apresentaram alta de 1,0%. Com o resultado, o subíndice de veículos pesados subiu a 158,36 pontos, ainda abaixo de agosto (160,13).

“Os resultados de outubro apresentam dados distintos entre as aberturas do índice, o que se deve a fatores econômicos e pontuais, como a normalização da atividade de transporte de carga após a paralisação parcial ocorrida em setembro”, afirma a analista da Tendências Andressa Guerrero, em nota.

Em relação a outubro de 2020, o fluxo total de veículos caiu 2,2% e interrompeu a sequência de sete expansões consecutivas na comparação interanual. O fluxo de veículos leves teve queda de 2,2%, enquanto o trânsito de veículos pesados caiu 2,1% – a segunda contração desde julho de 2020.

“O contexto sustentável de flexibilização social é um fator positivo para as decisões de viagens; por outro lado, há fatores negativos ligados ao orçamento das famílias, como a pressão inflacionária sobre itens essenciais. Já o fluxo de veículos pesados foi impulsionado pela normalização das atividades, após a ligeira paralisação dos caminhoneiros no mês anterior”, complementa Guerrero.

O fluxo total de veículos nas estradas com pedágio acumula crescimento de 6,6% nos 12 meses encerrados em outubro e avança 9,4% no acumulado de 2021. Os veículos leves sobem 6,1% em 12 meses e 9,8% no ano, enquanto o trânsito de veículos pesados avança 7,8% em 12 meses e 8,1% em 2021.

Estados

Em São Paulo, o fluxo total de veículos caiu 0,5% na margem em outubro, puxado por queda dos veículos leves (-0,6%), com avanço de 0,2% nos pesados. Na comparação interanual, o fluxo total contraiu 2,6%, com recuo de 2,1% dos veículos leves e queda de 3,9% dos pesados.

No Estado, o fluxo total de veículos sobe 6,0% em 12 meses e 9,0% no acumulado do ano. Os veículos leves avançam 5,6% em 12 meses e 9,6% em 2021, enquanto os pesados sobem 7,2% em 12 meses e 7,4% no ano.

O fluxo total de veículos recuou 1,1% na margem em outubro no Rio de Janeiro, com quedas em leves (-1,0%) e pesados (-0,3%). Na comparação interanual, o fluxo total caiu 0,7%, com reduções de veículos leves (-0,6%) e pesados (-1,2%).

O fluxo de veículos nas estradas pedagiadas do Rio sobe 9,6% em 12 meses e 13,2% no acumulado de 2021. Os veículos leves avançam 10,3% em 12 meses e 14,3% no ano, contra uma alta de 6,5% dos pesados em 12 meses e de 8,0% no ano.

No Paraná, o fluxo total de veículos avançou 1,0% na margem em outubro, com altas dos veículos leves (1,2%) e pesados (3,7%). Na comparação interanual, o fluxo total caiu 3,2%, puxado por veículos leves (-6,2%), enquanto os pesados subiram 1,6%.

O fluxo total no Estado cresce 4,5% em 12 meses e 6,2% no acumulado do ano. Nas aberturas, o fluxo de veículos leves acumula alta de 2,9% em 12 meses e de 6,0% em 2021, enquanto os veículos pesados avançam 7,0% em 12 meses e 6,8% no ano.