Prefeitura retira fotos contra Bolsonaro de exposição no Adamastor

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

A Prefeitura de Guarulhos retirou na tarde deste domingo (20), sete quadros da exposição ‘Universo Feminino’, realizada no Adamastor, localizado na avenida Monteiro Lobato, n° 734, no bairro do Macedo. As sete fotos retiradas mostram a manifestação de mulheres que ocorreu no ano passado na capital paulista contra o atual presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Em nota, a administração municipal destacou que o local por ser um espaço público, não é apropriado para manifestações políticas, e ainda afirmou que essa exposição realizada pelo coletivo Fotógrafas Guarulhenses segue em exibição até o dia 17 do próximo mês, diariamente, das 9h às 22h, no salão de exposições do Adamastor.

“Ao saber que na exposição havia um conjunto de quadros de caráter político-partidário, o prefeito Guti determinou que somente esses fossem retirados  imediatamente, já que o Centro Municipal de Educação Adamastor é um espaço público inapropriado para manifestações de cunho político”, destacou em nota a prefeitura.

Em entrevista ao HOJE, a coordenadora do coletivo e presidente do Conselho de Cultura, Marina Pinto, 48, afirmou que ficou sabendo sobre a retirada dos quadros somente pela rede social, e que não houve nenhum aviso por parte da prefeitura. “A exposição é sobre o universo feminino, e acabamos se sentindo agredida com tudo isso que está o que está ocorrendo. A gente se pauta pela constituição, liberdade expressão e livre pensamento”, revelou.

A exposição é composta por 80 fotografias, sendo que as sete imagens retiradas pela prefeitura alegando cunho político pertencem à fotógrafa Janaína Reis. O coletivo existe desde o ano de 2017, sendo composta por 40 fotógrafas.

“Neste trabalho, cada fotógrafa optou por um viés, então, temos fotos de mulheres no cotidiano, no trabalho, a relação com o próprio corpo e também a maternidade. Estamos consultando um advogado para saber se esse argumento do prefeito procede, e estamos verificando também quais outras ações o coletivo pode tomar”, destacou.

A exposição no Adamastor começou no dia 20 do mês passado, porém, somente quando completou um mês, que a administração municipal resolveu retirar as sete fotografias.

Foto: Janaína Reis