Onde está o gás? Sindigás defende liberdade da prática de valores do gás de cozinha

Sindigás defende a liberdade na elaboração do valor para o gás de cozinha pelos revendedores - Crédito: Divulgação

Da Redação
[email protected]

Apesar do valor cobrado pelo botijão de gás de cozinha ter alcançado patamares elevadíssimos após o começo da pandemia provocada pelo Covid-19, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) defende a liberdade da prática de valores do gás de cozinha e condena ações de fiscalização que contam com o poder das forças policiais por classificar a comercialização, em determinados casos, por praticar preços considerados abusivos.

Aquela entidade sindical ressaltou que o preço praticado deste insumo é livre, regulado pelo mercado, sem que haja estabelecimento de valores máximos ou mínimos. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em fevereiro de 2020, o preço médio no estado de São Paulo estava na ordem de R$ 70. Ela entende, que por ser um valor médio, calculado para todo o estado, é natural que existissem, no período, comerciantes vendendo o botijão tanto por valores acima quanto abaixo desse patamar.

“O Sindigás repudia toda e qualquer tentativa de prática de preços abusivos. Embora esteja de acordo com a mobilização de governos e órgãos públicos de fiscalização para coibir aqueles que buscam tirar vantagem em um momento especialmente delicado para as famílias brasileiras, o Sindigás alerta para ações que possam ter efeitos indesejados”, disse em nota.

O anúncio por autoridades de que a Polícia Militar realizará ações contra comerciantes que estejam vendendo o produto acima de R$ 70 pode levar à punição injustificada de centenas de empreendedores sérios que podem comercializar o produto acima de R$ 70, sem que estejam praticando preços abusivos. A consequência de tais medidas pode ser o fechamento de revendas, diante do temor de punições arbitrárias.

O Sindigás reafirma o compromisso das empresas distribuidoras, de empreendedores e colaboradores com o bom serviço à sociedade. Ressalta ainda que toda a indústria está trabalhando acima de sua capacidade com o objetivo de responder ao recente aumento inesperado da demanda por gás.