Vacinação contra o sarampo começa nesta quinta na cidade de Guarulhos

A secretária de Saúde de Guarulhos, Ana Cristina Kantzos, concedeu uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira (10) no auditório do Paço Municipal para anunciar que o governo do estado estenderá a Campanha de Vacinação contra o sarampo em Guarulhos a partir desta quinta-feira (11), com o envio de 164 mil doses da vacina ao município.

A entrevista também teve por objetivo pedir o apoio dos veículos de comunicação na divulgação da campanha, que é destinada aos jovens de 15 a 29 anos, faixa etária considerada a mais vulnerável para a doença.

 “Precisamos da ajuda de vocês para informar que as doses estarão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) a partir desta quinta-feira. Queremos imunizar indiscriminadamente todas as pessoas nessa faixa etária antes da volta às aulas e, para tanto, também vamos organizar uma força-tarefa para vacinar essa população em locais de grande circulação de público, como nos shoppings, em cinemas, no Sesc, no aeroporto, em terminais rodoviários e nos parques”, disse a secretária.

 Com 11 casos de sarampo confirmados até o momento, Guarulhos será o único município da região do Alto Tietê a receber a campanha. Osasco, São Bernardo do Campo, Santo André e São Caetano do Sul são cidades onde já há a circulação do vírus. Preocupado com a confirmação dos primeiros casos no município no início do mês passado, o prefeito Guti foi pessoalmente solicitar mais doses da vacina ao governador João Doria.

 Dos 11 casos de sarampo confirmados na cidade, três são de pessoas que residem no distrito Pimentas: Jardim Brasil, Pimentas e Jardim Arujá. Dois estão no distrito Cumbica (Jardim Angélica e Jardim das Nações), dois no distrito Vila Galvão (Vila Galvão e Vila Rosália) e os outros três são dos seguintes bairros: Vila Augusta, Vila Lanzara (região Centro/Paraventi) e Jardim Dourado (região Gopoúva/Paraventi).

 Durante a coletiva, a secretária também traçou um panorama da situação do sarampo no estado de São Paulo e explicou como tem sido o trabalho de bloqueio e varredura para evitar que o vírus se torne circulante na cidade, com a vacinação de todos os moradores que estão com a dose em atraso em um raio de oito quarteirões de onde houve a confirmação do caso.

Foto: Ivanildo Porto