Conta de energia elétrica deve ficar mais barata 2,1% a partir de outubro

Antônio Boaventura

[email protected]

O guarulhense pode ter o valor de sua conta de energia elétrica reduzida em 2,1%, a partir de outubro. A cada quatro anos, conforme estabelece o Contrato de Concessão firmado com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é realizado o processo de Revisão Tarifária da EDP São Paulo, oportunidade em que são avaliados os investimentos realizados pela distribuidora, a qualidade do serviço prestado, os níveis de perdas na rede, os custos com compra de energia e os encargos setoriais.

A Aneel promoveu nesta terça-feira, dia 23, a abertura da audiência pública com o objetivo de discutir a proposta da Quinta Revisão Tarifária Periódica da EDP São Paulo. Preliminarmente, a agência calculou uma redução média da ordem de 2,10% para as tarifas a serem praticadas pela EDP São Paulo a partir de 23 de outubro de 2019.

A nova tarifa será determinada em outubro, para entrar em vigor a partir do dia 23 de outubro de 2019. Na revisão da EDP São Paulo, o item que mais contribuiu para os índices de redução tarifária propostos foram os custos com pagamento de encargos setoriais.

Um dos aspectos que permitiram essa possível redução foram os encargos setoriais devido à antecipação do pagamento dos empréstimos realizados pelas empresas de distribuição nos anos de 2013 e 2014, para pagamento das Usinas Termoelétricas que tiveram que produzir energia naquele período de seca muito severa. Essa condição deve colaborar com 6,22%.

O efeito médio preliminar calculado é de uma redução da ordem de 2,10% no valor da tarifa.  Para as unidades consumidoras atendidas em baixa tensão (residenciais) o efeito médio preliminar calculado é de uma redução de 3,14%, enquanto que para as unidades consumidoras atendidas em alta tensão a redução deve ser de 0,25%.

Relevantes recursos foram investidos ainda para a construção e recapacitação de quilômetros de linhas de distribuição de alta, média e baixa tensão como, por exemplo, a linha de 88/138 kV Mogi-Suzano, para aumentar a confiabilidade do sistema e reduzir riscos de eventuais interrupções de energia.

Foto: Ivanildo Porto