Zoológico socorre mais de 40 gambás agredidos por humanos e cães

Sempre repleta de animais que necessitam de cuidados específicos, a área restrita do Zoológico de Guarulhos, no Jardim Rosa de França, no momento abriga mais de 40 gambás, principalmente mães e filhotes vítimas de agressões humanas ou de ataques de cães. Também conhecido como saruê, a quantidade deste tipo de animal que chega ao zoo precisando de socorro aumenta exponencialmente com a chegada da Primavera, época de reprodução da espécie.

A veterinária Hilary Hidas, explica a situação: “Comumente confundidos com ratos, os gambás são marsupiais, grupo no qual as mães possuem uma bolsa (marsupio) onde carregam os filhotes em desenvolvimento. Por conta disso, as mamães gambás ficam mais lentas e susceptíveis a ataques, armadilhas, e a acidentes como atropelamentos”.

Inofensivos, porém muito assustados, o que por vezes passa a impressão de agressividade, assim como todos os animais, os gambás têm importante função no ecossistema, pois se alimentam de insetos, escorpiões e de cobras, auxiliando no controle populacional dessas espécies, e também de frutas, fazendo a dispersão de sementes.

A equipe do zoo pede que a população colabore com a proteção do animal que é um aliado no combate a espécies peçonhentas como as citadas acima. Os sobreviventes que têm a sorte de contar com os cuidados da equipe do parque, após medicação e reabilitação, sempre que possível, são devolvidos à natureza.