Guarulhos não registrou morte por dengue e nem chikungunya este ano

Foto: Divulgação/Fiocruz

A cidade de Guarulhos, de janeiro deste ano até o momento, registrou 287 casos confirmados de dengue e dois de chikungunya, porém sem óbitos pelas doenças, de acordo com informações da Secretaria de Saúde.

Entre as ações rotineiras que ajudam a prevenção realizada pela administração municipal estão visitas de casa em casa e também o bloqueio de criadouros e atuação em locais estratégicos.

Mesmo assim, é importante que a população elimine os possíveis criadouros do mosquito. Isso porque ao longo dos anos, o Aedes aegypti se adaptou extremamente bem às condições urbanas e aperfeiçoou sua forma de reprodução. É um mosquito doméstico, vive dentro de casa e perto do homem.

Com hábitos diurnos, o mosquito transmissor da dengue e chikungunya se alimenta de sangue humano, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer. Sua reprodução acontece em água limpa e parada, com o depósito de seus ovos pelas fêmeas em diversos criadouros. Por isso, o controle do mosquito depende do engajamento de toda a população.