Prefeitura revela que trailers do Parque Cecap estão irregulares e recebem denúncias de perturbação do sossego público

A novela dos trailers no bairro do Parque Cecap continua, já que a história tomou força durante a semana passada, quando a Prefeitura alegou que os trailers deveriam sair da região por não possuir licença de funcionamento, e por estar instalado em uma área que pertence ao governo do estado de São Paulo.

No ano de 2014, os boatos para a retirada dos trailers se intensificaram, alguns até chegaram a realizar um abaixo assinado contra a retirada, e na época, os 27 comerciantes realizaram uma audiência na Bocha do Parque Cecap, com a proposta da Prefeitura de legalizar e definir os pontos.

Em nota ao HOJE, a Prefeitura não alegou o prazo para a retirada dos trailers, porém, ressaltou que todos estes estabelecimentos foram notificados e os processos de licença foram indeferidos por falta de autorização da CDHU( Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano).

Além da questão da falta de autorização para funcionamento dos estabelecimentos, os trailers recebem a denúncia de moradores dos condomínios vizinhos, por perturbação ao sossego público, devido ao alto barulho e também a presença da festa mensal, conhecida como Baquira, na pista de skate do bairro.

A desocupação da área dos trailers pode começar nesta terça-feira, 9, porém ainda não existe qualquer previsão para concluir esta ação. Os trailers são localizados próximo ao Hospital Geral e no Parque Villanova Artigas, que até o momento possui apenas um campo de futebol, uma pequena pista de caminhada e academia popular.

Os trailers do Parque Cecap se encontram no local há quase 30 anos, são marcas registradas do bairro, ajudando também na geração de empregos e financeiramente ao bairro.

É possível com a desocupação dos parques, que a área seja utilizada para ampliar o parque, mas ainda não existe nada confirmado. A Prefeitura emitiu uma nota a respeito dos trailers.

“A Prefeitura informa que a área na qual estão instalados os trailers pertence à Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), órgão do governo do estado de São Paulo. Independentemente de se tratar de área particular ou pública para exercer atividade econômica toda empresa deve, previamente, ser autorizada pela Prefeitura Municipal de Guarulhos, e essa autorização se expressa por meio da emissão de licença de funcionamento, alvará sanitário, entre outros documentos que regulamentam a atividade”.

“No Cecap os estabelecimentos, em alvenaria, não gozam dessa condição e, mesmo assim, funcionam sem nenhum amparo na legislação”.

Reportagem: Ulisses Carvalho