Share
MP intervém e ‘Marcha pra Jesus’ é cancelada

MP intervém e ‘Marcha pra Jesus’ é cancelada

Recomendação: O promotor determinou o prazo de 48 horas para que o secretário de cultura, Edson Alves Fontes, informasse se acatou ou não a recomendação

O Ministério Público Estadual (MPE) de Guarulhos interveio quanto a realização da “Marcha pra Jesus” que aconteceria no próximo sábado (24). O promotor de Justiça, Nadim Mazloum, recomendou a prefeitura que não sejam utilizados recursos públicos para a realização do evento.

Para o MP, a realização do evento com verba pública caracterizará ato de improbidade administrativa. De acordo com o documento, datado de 19 de setembro, Mazloum afirma que na hipótese de haver acontecido contratações destinadas a esse evento a prefeitura deve declarar a “nulidade dos respectivos contratos administrativos”. O promotor determinou um prazo de 48 horas para que o secretário de Cultura, Edson Alves Fontes, informasse se acatou ou não a recomendação.

Os organizadores se mostraram surpresos com a decisão uma vez em que esta seria a 13ª edição evento. Segundo eles, a prefeitura informou ontem de manhã que a Marcha estava cancelada. Em comunicado oficial, eles afirmam que o evento foi adiado porque “o Ministério Público manifestou-se contrário a realização do evento que reúne anualmente milhares de fiéis de todas as igrejas cristãs da cidade”. Eles agora buscam meios legais e parceiros para que uma nova data seja divulgada.

Esta não é a primeira vez que o MP se manifesta sobre o evento. Em 2013, o órgão acatou a solicitação de um guarulhense que contestava a realização da 10ª edição da Marcha para Jesus. Ele questionava os impactos viários que o evento gera. Na época, a prefeitura apresentou as autorizações necessárias que comprovavam a regularidade do evento.

Em nota a Secretaria de Cultura informou que cumprirá a recomendação do MP quanto a realização do evento.
Evento – A Marcha pra Jesus seria realizada na avenida Paulo Faccini com caminhada até a Praça Transguarulhense, no Parque Continental. No local um show com importantes nomes da música gospel como Ao Cubo, Renascer Praise, Daniela Araújo, Eli soares e Audio Vox seria realizado. Nos anos anteriores a Marcha teve como temas drogas, cidadania, reciclagem, fé e sustentabilidade. Nesta edição o tema seria “Igreja na rua, cidade abençoada”, onde os organizadores esperavam reunir 120 mil pessoas.

Reportagem: Rosana Ibanez

110 Comentários neste post

  1. Diego Pereira

    Olá amigos do “Guarulhos Hoje”!
    Bom dia!
    A justiça de Guarulhos se manifesta contrária ao investimento de dinheiro público para um evento de caráter cristão, mais não se opõe a parada gay que também ocorre já a alguns anos, além do que, esse tipo de bloqueio é uma maneira de querer mostrar serviço ao cidadão guarulhense se aproveitando de uma classe que pouco se manifesta, pouco luta pelos seus direitos. Votação para reajuste salarial na câmara dos deputados é normal? É limpo? Aliás o salário absurdo recebido pelos vereadores e o prefeito de nossa cidade não é público?
    Lamentável certas decisões, acorda povo de Guarulhos, acordem cristãos de Guarulhos!

    Responder
    • Os gays não usam dinheiro público para suas paradas, ao contrário dos evangélicos.

      Responder
    • Edison Evaristo

      Dinheiro público tanto em marchas de cunho religioso como para a marcha gays fere o estado democrático de direito. Nada contra estas marchas, mas o Poder Público devem apenas agir na organização do evento no que se refere ao trânsito, segurança, etc. Financiamento não.

      Responder
      • Gerson de Souza

        O ministério público tem o poder de agir em qualquer situação em que entender que a lei pode não estar sendo cumprida, seja ela de cunho social, político, cultural ou financeiro. Se houve entendimento do ministério público que o uso de dinheiro público para financiar o evento era ilegal, o ministério público tem o poder legal para agir. Lembrando que não foi o ministério público que impediu a marca, ele apenas entendeu que era irregular e recomentou a prefeitura, que caso não acatasse, aí sim o ministério público encaminharia denúncia para o juiz responsável pela vara local, e somente o Juiz então é que teria o poder legal para cancelar a marcha ou não. Isso é a lei.

        Responder
      • Boa tarde meu amigo!

        Vc se refere a ferir o direito democrático, e financiamento de eventos na cidade, porém vc já viu quantos reais são investidos em “papeis de candidatos? ” ou “banners de candidatos? ” e no que se diz a respeito de trânsito e segurança! Se vc reside nessa cidade e se locomove com transporte público ou seu transporte particular, com certeza já se deparou com várias vias esburacadas, sem sinalização ou sem a mínima condição de andar a pé mesmo! Então resumindo, se o dinheiro é #PÚBLICO deve ser utilizado em favor do direto #PÚBLICO e como nosso estado é laico então toda manifestação religosa deve ser respeitada !

        Responder
    • Se não tem marcha pra religiões Afro-brasileiras (Candomblé, Umbanda,Quimbanda,etc.),Budistas, hinduístas, Ateistas, Agnósticos, etc , porque pode ter ” Pra Jesus” ???? E ainda utilizando recursos públicos – o seu imposto e o meu imposto. Vivemos em um “”””””””Estado Laico””””””” Não estão satisfeitos, Peçam as suas igrejas pra financiar!!

      Responder
      • Com certeza!

        Responder
      • Isso aí, mas é assim mesmo esses cristãos querem usurpar do dinheiro público, uma grande maioria são usurpadores caras de pau, tem que abolir esse tipo de palhaçada com dinheiro público quer fazer marcha para Jesus, Maomé, Mãe Joana vai pedir dinheiro a sua igreja ou seu pastor… Não pago impostos altíssimos para ser designado a esse tipo de coisa.

        Responder
      • Patrícia

        Totalmente de acordo.

        Responder
      • Cintia Pires

        PERFEITO SEU COMENTÁRIO ZIEG.

        Responder
    • Olá, boa tarde, o cancelamento pelo MP, não demonstra de nenhum modo ser parcial, e estes não podem ser, o cancelamento se deu devido a “Marcha para Jesus” utilizar de dinheiro público para ser realizada. Porém se os idealizadores conseguirem o dinheiro de outra forma legal, com as demais licensas necessárias, assim como acontece na parada gay, com certeza a marcha ocorrerá.
      Uma dica seria usar uma pequena parte do dinheiro arrecadado pelas igrejas ou procurar empresas privadas.

      Responder
    • Estado e laico e não tem religião e se apóia uma religião e obrigada a apoiar todas até o satanismo ocultismo e etc, já a parada gay e uma manifestação de cultura e identidade social o que previsto em lei no art 5 da CF.

      Responder
      • Thiago Lobo

        Exatamente, Fábio. A questão é o Estado ser laico. A parada gay nada tem a ver com a laicidade do Estado. E somo: a parada gay movimenta a economia pela rede hoteleira.

        Responder
    • Anderson DaMin

      Errado. O ministério público se manifesta contrário à utilização de recursos públicos para o evento. Baseando-se entre outras coisas na Constituição Federal.

      Responder
    • Sua comparação foi infeliz. Se o seu evento religioso, seja cristão ou de qualquer denominação, usa verba do Estado, ela fere o principio da laicidade. Sua igreja tem dinheiro suficiente para bancar o evento, ai ninguém vai reclamar! Passar bem!

      Responder
    • vesteduvest

      O Estado NÃO pode fomentar ou subvencionar NENHUM tipo de religião/culto e afins, ao passo que, o Ministério Público de oficio fez o que deveria ter feito. Em relação aos LGBTT acredito que não tenha absolutamente nenhuma ligação com nenhum tipo de evento religioso, logo, não diz respeito ao artigo 19 da CRFB.
      UMA SIMPLES LEITURA NA CONSTITUIÇÃO É CAPAZ DE ESCLARECER OS TAIS PONTOS ABORDADOS.
      Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
      I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público;
      II – recusar fé aos documentos públicos;
      III – criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si.
      Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
      IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.
      Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
      I – homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição;

      Responder
    • Alexander Chigir

      Para gay não é feita com VERBA PÚBLICA. Já essa marcha para o zumbi do deserto tinha dinheiro de imposto, o que é ILEGAL.
      Valeu, falou

      Responder
    • Matheus Bonella

      O mais engraçado é um monte de gente se dar ao trabalho de vir responder ao crente há ter haudsuhsaiahsuha deixa esse alienado continuar reclamando achando que está certo. Eu gosto de ler as merda que eles escrevem. Essa piada nunca perde a graça

      Responder
    • Porque vcs gostam de citar gays, cambada de crentes idiotas, estado atrasado, deuses não existe, faça marcha pra Maomé, pra shiva, pro Buda heheh

      Responder
    • Carlos Eduardo Borba

      Simples: Estado Laico.

      Responder
    • Internauta qualquer

      Amigo, a parada do orgulho gay não usa dinheiro público como a marcha pra jesus. 😉
      O problema não é a marcha em si, mas sim que não somos obrigados a sustentá-la, uma vez que o dinheiro público é o povo quem dá. Nem todos são evangélicos e nem são obrigados a se converterem.
      E outra, se não existem marchas para outras religiões, por que deveria ter para jesus?? O Estado é laico, teoricamente né, pois na prática cristãos adoram impor suas crenças aos outros…

      Responder
    • A prefeitura de São Paulo só passou a investir na Parada LGBTT quando virou um evento tão grande que dava lucro pra cidade. Até então as primeiras foram de reivindicações de cidadania.
      O Estado é laico, não deve financiar religião que sequer paga imposto, ou seja, não se porta num patamar de participação pra exigir cidadania, mesmo girando montanhas de dinheiro.

      Responder
    • Edurael alves

      Me desculpe parada GLBT, não está favorecendo uma Única religião com dinheiro público.

      E como tocou no assunto LGBT, o turismo comercio, entre outros tem lucro muitíssimo
      Maior, exemplo podemos pegar a cidade de São Paulo onde o vento e o segundo mais lucrativo.

      Responder
    • Carlos Roberto Amorim

      Amigo, boa noite. A marcha pode ser realizada desde que não seja com dinheiro público, porque caracteriza improbidade administrativa uma vez que fere a laicidade do Estado. Estado laico é aquele que respeita a fé de todos os cidadãos, seja ela qual for, ou mesmo a falta dela. A parada gay não representa nenhum tipo de fé. Você pode até contestar legalmente o uso de dinheiro público na parada LGBTs, mas vai ter que encontrar outro argumento que não seja baseado na sua crença.

      Responder
    • Acho justo pq vc n ve marcha para Iemanjá, vc n ve marcha para Buda, vc n ve marcha para Alá… Oq faz o cristianismo mais importante doq as outras religiões??

      Responder
    • Para de chorar. No dia em que o público gay tiver uma igreja temática em cada esquina e não pagarem imposto para o mesmo aí sim vc pode tentar ter razão nesse seu argumento lixo.

      Responder
    • Parada gay não vai contra os princípios do estado laico, isso basta.

      Responder
    • É o que faltava: essa gentalha querendo marchar ÀS NOSSAS CUSTAS! Não é à toa que o CUNHA É EVANGÉLICO! VAI TOMAR NO CU. USAR O MEU DINHEIRO É CARALHO. NEM EM NOME DE DEUS NEM EM NOME FDA PUTA QUE O PARIU!

      Responder
    • Gerson de Souza

      A parada Gay acontece como uma manifestação para defender um direito civil amparado pela constituição do Brasil, sem distinção de raça, cor, religião, posição social, ou qualquer critério que sirva para discriminar uma pessoa, o que torna o evento, totalmente amparado pela constituição e por tanto pode receber verbas públicas. Já o evento religioso fere a laicidade do estado estabelecida por lei. Não há o que fazer! Aos evangélicos que ficaram surpresos deixou a palavra de Jesus quando foi perguntado como iria entrar na cidade sem pagar imposto: Não façamos escândalo. Se assim é exigido, que se pague o imposto!

      Responder
    • Sr. DIEGO PEREIRA, sugiro que examine o que diz o Artigo 19, Inciso I, da Constituição Federal.
      Art. 19 “É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
      I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público”;
      Ou seja, não está discutindo, tampouco o Ministério Público está intervindo na tal Marcha, e sim, no financiamento dela com dinheiro público, o que É TAXATIVAMENTE PROIBIDO pela Constituição Federal.
      A tal da Parada Gay, que você mencionou, NÃO TEM vínculo religioso, com nenhuma religião. Logo, não há nenhum problema do poder público financiar eventos com essas características. Até porque, eventos como a Parada Gay, traz muito mais receita à cidade do que o que ela investe.

      Responder
    • Samael Morningstar

      Olha, é melhor tu parar porque ta feio linda. Close errado, close errante o que você tá dando agora. Não se deve usar dinheiro publico em manifestações religiosas pois o governo não deve favorecer nenhuma religião. Tu sabe o que significa “ESTADO LAICO” fofo? Se não, dá uma pesquisada :3

      Responder
    • Diogo Martins Miguel

      Ninguém se opôs à Marcha pra Jesus Diego, o que está sendo barrado é o uso de dinheiro público para financiar tal evento. Da mesma forma, se na mencionada Parada Gay houvesse a utilização de recursos públicos para financiamento, essa prática também deveria ser barrada. Quanto à “classe que pouco se manifesta”, se for da religiosa que você está dizendo, com certeza em nível nacional e, acredito eu que, provavelmente estadual e municipal como um todo a bancada religiosa no legislativo é a de maior representatividade e a mais atuante. Então tenho de discordar de você quanto a isso. Já o uso do dinheiro público para pagamento do salário do prefeito e dos vereadores da cidade nada tem a ver com essa discussão, não distorça tão pobremente o debate.

      Responder
    • Os gays nao usam dinheiro publico, diferente de uns e outros 🙂

      Responder
    • A para da gay é financiado principalmente por ONGs. Não usa dinheiro público. É o que deveria fazer os crentes também. Usem seu próprio dinheiro e façam sua parada que ninguém vai incomodar vocês.

      Responder
    • Antonio Carlos de Carvalho

      Marcha para Jesus = dinheiro público. Parada gay = sem dinheiro público. Tem outras coisas erradas acontecendo no seu município e por isso você quer que mais uma aconteça? Raciocine direito.

      Responder
    • Quanto menos ” atos cristãos ” mais evolução na sociedade, não percebeu ainda?

      Responder
    • A diferença amigo, é que a parada gay não é uma manifestação de caráter religioso, e sim social, como que o governo pode sustentar manifestação religiosa com o dinheiro do povo, estado laico virou piada!

      Responder
    • Querido usar dinheiro público para evento de qualquer religião é crime pois se vc não saiba o estado é laico de acordo com a Constituição

      Responder
  2. Engraçado, não que seja contra, mas na parada gay a alguns finais de semana atrás, não houve intervenção nenhuma, e a marcha para JESUS e cancelada? É preconceito? E vem com essa desculpa de uso de verba pública! No outro evento também se utilizou verba, funcionários, vias, etc. Estranho!!!

    Responder
    • O Estado é Laico…Estado e Religião não se misturam… simples assim…Ninguém merece pagar impostos para promover a religião de ninguém.
      Agora o argumento da parada gay, pode ser utilizado para definir o seu caráter… obviamente homofóbico. Mas o Estado não pode assumir a mesma postura homofóbica, e sim, deve utilizar de verbas públicas para diminuir ao máximo intolerâncias como a sua.

      Responder
    • Realidade

      Prove que o evento LGBT teve financiamento e uso de verba publica. Sem provas, vc nao poderá reclamar.

      Responder
    • Anderson DaMin

      Errado. O ministério público se manifesta contrário à utilização de recursos públicos para o evento. Baseando-se entre outras coisas na Constituição Federal.

      Responder
      • Artigo 19, Inciso I, da Constituição Federal.
        Art. 19 “É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
        I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público”;
        Ou seja, não está discutindo, tampouco o Ministério Público está intervindo na tal Marcha, e sim, no financiamento dela com dinheiro público, o que É TAXATIVAMENTE PROIBIDO pela Constituição Federal.
        A tal da Parada Gay, que você mencionou, NÃO TEM vínculo religioso, com nenhuma religião. Logo, não há nenhum problema do poder público financiar eventos com essas características. Até porque, eventos como a Parada Gay, traz muito mais receita à cidade do que o que ela investe.
        O comentário do ANDERSON DAMIN está correto.

        Responder
    • Se o seu evento religioso, seja cristão ou de qualquer denominação, usa verba do Estado, ela fere o principio da laicidade. Sua igreja tem dinheiro suficiente para bancar o evento, ai ninguém vai reclamar! Passar bem!

      Responder
    • vesteduvest

      A questão é que o ESTADO não pode fomentar ou subvencionar nenhum tipo de culto/religião devido a sua neutralidade no que diz respeito ao princípio da laicidade do Estado, portanto, antes de disseminar ódio contra homossexuais, bissexuais, transsexuais e afins para desviar o foco do assunto abordado em tela, seria de bom tom que a V. Senhoria lesse os artigos pertinentes ao caso em nossa Constituição Federal.
      Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
      I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público;
      II – recusar fé aos documentos públicos;
      III – criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si.
      Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
      IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.
      Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
      I – homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição;

      Responder
    • Alexander Chigir

      Para gay não é feita com VERBA PÚBLICA. Já essa marcha para o zumbi do deserto tinha dinheiro de imposto, o que é ILEGAL.
      Valeu, falou

      Responder
    • O estado é laico. isso quer dizer que ele não pode apoiar nenhuma manifestação religiosa. A parada do orgulho LGBT não tem cunho religioso, então pode receber verba pública para isso.

      Responder
    • Rev. Bruno Ribas

      Pressão do Cadidato Eli Corrêa contra a marcha, e ele não é prefeito, imagine se for!!! Os Evangélicos estão perdidos…

      Responder
    • Carlos Roberto Amorim

      Imagina se adoradores do Demônio ou da deusa Xiva se acharem no direito de organizarem uma marcha para as suas divindades com dinheiro público. Um Estado laico não interfere na crença de seus cidadãos. Então se o poder público bancar a marcha para Jesus, se verá obrigado a bancar qualquer outra marcha para qualquer outra divindade em respeito à Constituição. Imagina o caos que seria. Com certeza a maioria das pessoas seriam contra porque elas têm uma fé diferente baseada em outra divindade. Então como o Estado não pode tomar partido de ninguém respeitando a liberdade de crenças ou não crenças, cada um que pague do bolso a festa para o seu ídolo.
      Eu não tenho religião. Por que tenho que pagar a marcha para você homenagear a divindade que você acredita?
      Você não adora Xiva. Por que tem que bancar a marcha para adoradores de um deus que não é o seu?
      Percebe? O dinheiro é público. As crenças são pessoais.
      É laicidade é respeitar a crença ou não crença de todos, e não dá crença da maioria ou do presidente ou dos deputados da câmara.
      Compreende? Não é preconceito. É legalidade.

      Responder
  3. cristiano rafael

    Se é evento religioso, o Estado não deve de forma alguma financiar… e tem mais, deve cobrar pela segurança extra. Respeito a liberdade religiosa, mas cada um que banque sua adoração ao deus que quiser com recursos próprios, e não com verba pública.

    Responder
  4. Caio A Nunes

    Parabéns à iniciativa do Ministério Público e da ATEA. A Igreja já recebe imorais imunidades tributárias e a Constituição proíbe subvenções de eventos religiosos com dinheiro público, só é difícil entender porque se demorou tanto.
    Dinheiro público é pra ser investido em saúde, educação e segurança e não em cantor gospel querendo impor sua visão do que acha que haveria no além túmulo.

    Responder
  5. Alexandre

    Acho é pouco

    Responder
    • Realidade

      Tambem acho. Os organizadores de todas as marchas religiosas dos anos passados deveriam devolver a verba publica à Prefeitura, acrescida de juros e correcao monetária.

      Responder
  6. Acho pouco. Bem feito.

    Responder
  7. Achei a decisão correta…dinheiro público não pode ser usado para financiar ou custear eventos religiosos. O Estado é laico. E, ao contrário do que muitos criticam, é dever do Estado promover a igualdade e a garantia dos direitos individuais.

    Responder
  8. fornicador

    Delícia uheuheuha

    Responder
  9. Esquecem que a parada gay recebe ajuda somente para a segurança e limpeza pública do estado e dinheiro para se fazer mesmo todo o resto vem de patrocínio com empresas e ONGs glbt

    Responder
  10. Parabéns à Atea pela iniciativa que resultou nessa intervenção do Ministério Público contra o uso do dinheiro público para financiar evento religioso… e vc que está achando uma “sacanagem” a prefeitura apoiar a parada gay e não sua Marcha, pesquise um pouco sobre ‘Estado Laico’ e ‘Defesa de Minorias’.

    Responder
  11. Os comentários dos defensores do evento cristão possui anencefalia histórica e cultural. A parada gay é para uma minoria e voltada para um grupo de interesses humanos, como a liberdade de expressar-se sexualmente. Agora, esta palhaçada medieval (que está falindo com o passar do tempo e evolução moral natural da espécie) apela para tentar manter alguma forma de controle, que vem perdendo a cada passar dos anos. O cristianismo e outras religiões não representam atratividade para o poder público, que é laico, ou pelo menos têm que ser. Eventos religiosos devem ser financiados pelos próprios, e é tão simples, é só usar o caixa dois dos sacerdotes e seus trízimos e quadrízimos! kkkkkkk
    A Seleção Natural com o passar das eras tornará extinta essas formas delirantes de manifestação, como diria um Dawkins da vida! hehehe… Ou a Religião é extinta ou a própria espécie humana. O avanço tecnológico também contribuirá com a derrocada religiosa, por aumentar o ceticismo para com o sobrenatural, é só encontrarmos vida (inteligente) em outros planetas e a neurociência destruir por completo a idéia de uma alma(que na verdade já o fez , mas não o comercializou) …. enfim, existe muito em jogo, mas o certo é que VCS RELIGIOSOS ESTÂO DANÇANDO FORA DO COMPASSO DA MÚSICA DO FUTURO, VÂO PERDER E SABEM DISSO! NÃO ADIANTA APELAR!!!! kkkk #GIORDANOBRUNORICHARDDAWKINSÉNÓS!!!

    Responder
    • Que imbecil! Pode ser que acontece exatamente como escreveu, mas você não vai viver tempo suficiente pra ver. Sou contra o investimento de dinheiro público todo e qualquer evento irrelevante para a maioria da população. Desconfio dessa conversa de lutar em defesa das minorias, até porque os ricos são minoria…

      Responder
  12. Outorgado

    Concordo em anular essa babaquisse, se vc é católico ou evangélico e quer ver os cantores que gosta, faça como eu que sou ateu e pago pra ir em shows e festivais!

    Responder
  13. Pessoal que tá falando da parada gay… Lembrem-se que o Brasil é um Estado laico, pelo menos em teoria, e usar dinheiro público para financiar atividade religiosa é contra este preceito. Por outro lado, a parada gay é uma manifestação sem QUALQUER caráter religioso, logo, não há porque se importar. Menos, amiguinhos…

    Responder
  14. QUE SEJA COM TODO EVENTO DITO RELIGIOSO…ASSIM COMO CARNAVAL , FUTEBOL, PARADA GAY ,ORGULHO DA PUTA QUE OS PARIU… E TODA PORRA INÚTIL QUE DEMANDA DINHEIRO PÚBLICO.

    Responder
  15. Boaaaaaa! A igreja deveria usar as “contribuições” dela a fim de financiar tal evento! Sem mais……….

    Responder
  16. Se já não bastasse as igrejas terem arrecadações exorbitantes e não pagarem impostos, tiram uma lasquinha do dinheiro público.

    Responder
  17. Eu acho certo que impeçam manifestações do tipo com verba pública. Não sou contra o direito das pessoas de seguirem sua fé ou expressá-las, apenas sou contra o uso de dinheiro público.
    A constituição é laica, podem dizer “mas não é ateia”. Só que laico é justamente não beneficiar uma religião em detrimento de outras ou da ausência de uma fé, se liberarem valores para uma marcha cristã, teriam também que liberar para uma marcha islâmica, uma marcha hindu. E convenhamos, vocês também seriam contra investimentos do governo para outra denominação religiosa contrária a sua.

    Responder
  18. Parabéns ao MP e ATEA, se cada “fiel” investisse seu dízimo na educação da escola de seu bairro e não no carrão ou sítio do seu pastor, metade das “maldades do mundo” desapareceriam como “milagre”. Educação e emprego são as chaves para boa convivência de ser humano e um país mais justo. Se você julga o próximo de acordo com suas crenças religiosas, você não é menos fanático que um terrorista islâmico.

    Responder
  19. Cara de pau destes crenrelhos..não pagam inpostos e guerem ser priviligiados…våo se f… Canbada de sangue_ sugas

    Responder
  20. Nada contra o evento mas que os organizadores banquem e arquem com os custos, afinal nem impostos a igreja paga.

    Responder
  21. Adorei! Eu acho é pouco!

    Responder
  22. Porém fazer a marcha do que quiserem: Jesus, Maconha, Gaz, Liberais, Max, do que QUISER… desde que não façam com dinheiro público.
    Uma cidade falida economicamente não deve gastar recursos públicos com qualquer tipo de marcha.

    Responder
  23. E para todos os evangélicos que forem reclamar “Ahhh mas a parada gay…” Na parada gay o Estado não fere a laicidade ao custear uma religião. E enquanto a parada luta contra preconceitos a marcha reforça e prega intolerância. Ok? Ok.

    Responder
  24. Ateu laico

    Ta certo. Esses pastores tem mais é q pagar iMpostos e n mamar na teta do governo.
    Chega mercadores da fé. A tetinha secou. Agora tem q tributar essas igrejas. Vai marchar nos infernos.

    Responder
  25. Começou a perseguição dos cristãos. A Bíblia fala disso é de tudo que acontecerá. Conheça seu futuro leia a Bíblia , o novo testamento tem o futuro de qualquer pessoa

    Responder
  26. alton s logrado

    a verdade é que não existe marcha para jesus.existe sim,um grupo de pessoas se dizendo evangelicos querendo curtir banda de músicos…as pessoas que marchava com jesus era para ouvi a verdade e praticar,,,

    Responder
  27. Se qualquer Instituição Religiosa ou Grupo, ou Seita, Organização , ONG, Partido Político, Bloco, Circo ou seja lá o que for as ruas a manifestar expondo os seus interesses, todos os dias haverão movimentos e ninguém mais vai poder trafegar em vias publicas .. Já bastam essas Manisfestações Políticas Fora Temer, Não vai ter Golpe, etc tirando o direito de ir e vir das pessoas que precisam ter acesso a certos locais onde essas manifestações ocorrem, ainda tem gente querendo chamar a atenção .. Não é porque sou Cristão que tenho que parar o Transito p/ berrar 100% JESUS ou porque sou Gay que preciso provar ao mundo que sou … Resumindo: Para que se Auto Afirmar se tem tanta a certeza do que és ???? … Isso falta de um tanque cheio de roupa p/ lavar .. Façam -me o Favor !!! .. PLEASE

    Responder
  28. Keyla Takashi

    Corretissima a determinação do MP. Usar dinheiro público para realizar uma marcha para um ser alegórico, inanimado, fictício, mitológico é um absurdo descarado, é uma safadeza do tamanho do mundo.

    Responder
    • vagner fantazine

      bom como a minha entidade nao vive mamando do gover5no

      acho que a lei tem que ser cumprida pra todos .

      Responder
  29. Ronaldo Garcêz

    Impressionante como li comentários de pessoas associando liberdade de manifestação religiosa com liberdade de manifestação sexual… a estupidez é proposital ou simplesmente não existe bom-senso?

    No evento da Parada Gay ou LGBTTT temos a luta pela visibilidade de grupos reprimidos na sociedade que independentemente de sua sexualidade ou gênero pode manifestar algum CREDO quer ele seja cristão, judeu, espírita, umbandista, rastafarista, etc. ou simplesmente NENHUM CREDO!!!

    Já na Marcha para Jesus vemos apenas um credo onde seus membros, no caso, não sofrem qualquer repressão social de poder manifestar-se publicamente ser cristão, ser privilegiada!!!

    Mais bom senso, gente, por favor !!!

    Responder
    • vagner fantazine

      e quanto a parada lgbt todo os eventos dele sao de proprios custos e ganho de les

      para evoluir o estado e municipios.

      Responder
  30. Vai todo mundo se converter a Jesus que bem melhor ele está voltado é ninguém ta a tento a sua chegada. …

    Responder
  31. Na verdade o que se quer,não são direitos ou não ferir a constituição! O mal desse país é se incomodar com bobagens! Estado laico? Kkkkkk
    O MP preocupado com o bolso das pessoas? Kkkkk! Acordemos,nossa atenção é desviada do que realmente interessa! A marcha para Jesus fere? Quem? O bolso de quem? A parada gay fere? Quem? O bolso de quem? Que nós brasileiros possamos deixar de engatinhar por bobagens,e coreanos atrás de ideais valorosos de verdade!

    Responder
  32. Afinal, qual é a finalidade da marcha para Jesus??

    Responder
  33. A cidade está uma droga, abandonada, falida…. E querem bancar evento?? Totalmente a favor! Quer fazer? Meta a mão no bolso! O país é laico, e as pessoas esquecem disto!

    Responder
  34. Corretíssimo. Afinal somos um PAÍS LAICO E O DINHEIRO PÚBLICO NÃO PODE JAMAIS ser usado para privilegiar uma corrente religiosa.
    Quanto à comparação com a Parada Gay e eventual subsídio, vale sair da ignorância. Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. Leiam a Constituição, o Estado é laico não pode privilegiar uma corrente religiosa. Quanto à parada gay, a diversidade, está dentro dos objetivos e princípios do Estado brasileiro – a pluralidade.

    Responder
  35. eunice pereira de souza

    Eu acho engraçado um monte de gente que xingava,cada palavrão e lasca o pau nos crentes e depois vão ser crente tb donos da verdade

    Responder
  36. Jesus merece toda e qualquer manifestação a favor dele, pois a ele toda a honra e toda a glória !!!

    Já a parada gay é uma putaria e sem vergonhisse só !!!
    Que não contribui em nada para a sociedade !!!

    Responder
  37. Pra Jesus não pode, mas pro Carnaval pode né??
    Bando de hipócritas !!!

    Responder
  38. JOSE MACHADO

    OK PESSOAL
    DEVEMOS TER EM MENTE QUE
    UM ERRO NÂO JUSTIFICA O OUTRO
    DINHEIRO DO POVO SO PODERÁ SER GASTO EM OBRAS PARA O POVO
    EM GERAL, NÂO PARA UMA MENORIA.
    NOS SOMOS UM PAIS DE 206 MILHOÊS DE HABITANTES.

    ESCOLA E SAUDE PARA TODOS.

    Responder
  39. Eduardo Amorim

    Sou cristão e graças a Deus por isso. Entretanto hoje é moda ser evangélico, e a maioria desse povo do “movimento gospel ou evangélico” não tem nada de Cristão verdadeiro, são pessoas que nunca nasceram de novo, atrás de Deus só pelo milagre ou pela prosperidade financeira, mais nada… eles praticam tudo que a Bíblia condena e ainda se dizem crentes, evangélicos, gospel seja lá o caco que eles queiram se dominar, mas Cristãos é que não são… a Bíblia condena relação sexual fora do matrimônio…a maioria desses jovens do movimento gospel e até cantores, pastores e etc da mídia gospel e das Igrejas contemporâneas ditas cristãs praticam isso na maior normalidade; a Bíblia condena a vaidade excessiva…eles estão inundados dela, principalmente os cantores gospel; a Bíblia condena se portar sensualmente…eles vão para essa “marcha pra demônios” pior que uma moça de baile funk que não conhece a Jesus…e os ditos varões vão até sem camisa…só Jesus, vai nascer de novo gente enganada pelo evangelho da mentira… resumindo…Deus nem sequer olha para esse movimento de hipocrisia onde não há nada de santidade, nem de Cristianismo…é puro movimento hipócrita para alegrar eles mesmos e dar dinheiro a seus atores gospels da mídia… Foi correto o MP, pois dinheiro público não é pra financiar nenhum movimento religioso, muito menos essa palhaçada de marcha que ainda tem a coragem de dizer que é pra Jesus…esse Jesus não é o meu com certeza… Agora (Fábio) me perdoe, mas dizer que a parada gay é movimento cultural e de ensinamento, tenha piedade Deus! Te pergunto uma coisa: Vc levaria seu filho ou sua filha de sete anos pra aprender algo nessa parada? Sabe o que ela veria lá?… Homens fazendo gestos e movimentos sensuais um com o outro! Homens com crucifixo fazendo movimento e colocando em seus orgaos de defecar! e outras coisas que é só vendo pra crer… nada contra os homossexuais, pois a pessoa humana deve ser respeitada, mas aceitar toda expressão humana como cultural já é uma mordaça e um desvario…te faço outra pergunta Fábio: é essa cultura que vc quer pra sua filha ou seu filho? se é… boa sorte, vá em frente, e terás amanhã uma sociedade um pouquinho pior…

    Responder
    • Aline Viani

      Perfeito, Fábio. Cada um na sua e nada de dinheiro público sendo investido em interesse particulares, sejam religiosos ou não. Também sou cristã, mas não concordo que quem não seja cristão tenha que ajudar a pagar manifestações de quem é, assim como não é justo eu ter que pagar pra que umbandistas ou muçulmanos façam suas manifestações. Da mesma forma, não é justo que todos custeiem manifestações ditas “culturais” em benefício de alguns grupos interessados, seja carnaval, parada gay ou o que for. Se não é pra suprir necessidades da maioria, não deve ser financiado com o dinheiro público.

      A Constituição dá a todos o direito de se manifestar, mas cada um que banque seus interesses. Eu não sou obrigada a pagar pra propagandear orgias gays, da mesma forma que outros não são obrigados a pagar para que eu manifeste a minha fé. Isso não tem a ver com religião, tem a ver com justiça e bom-senso.

      Responder
  40. É isso ai mesmo dinheiro público é pra ser empregado em favor dos munícipes que pagar imposto e não pra pasto fazer culto público e cantor gospel ir ganhar dinheiro pra fazer show não!!! Por que na realidade nenhum deles estão ali pregando nem cantando de graça não, estão ali mamando do nosso dinheiro usando o nome de Deus. Já passou da hora de este e outros eventos deixarem de serem feitos com verbas públicas. Eu como munícipe quero o dinheiro dos meus impostos usado em beneficio da cidade e não pra isso!!! Se evangélico, gays, espirita ou qualquer outro segmento quer fazer manifestação, passeata ou o escambau que arrecade fundos pra isso. Já basta os privilégios que as igrejas possuem, a maioria sugam os seus fiéis e nem se quer impostos pagam!!!! Garanto muitos preferem ao invés de pagar pra marcha que se utilize o dinheiro pra iluminar a cidade que vive na escuridão, pra tapar os buracos de nossas ruas, pra colocar remédio nos postos de saúde de outras prioridades nas quais devem ser aplicadas as verbas públicas.

    Responder
  41. Pignatari

    Parada gay pode usar dinheiro público né? Palhaçada isso…

    Responder

Deixe seu Comentário