Ex-secretário de Elói Pietá tenta se matar e é transferido de presídio

CURITIBA, PR, 26.09.2016 ? LAVA JATO ? O ex-secretário da Casa Civil Juscelino Antônio Dourado e o assessor na campanha de Palocci em 2006, Branislav Kontic, presos na 35ª fase da Operação Lava Jato chegam ao Instituto Médico Legal (IML) para realização de exame de corpo de delito, em Curitiba, na tarde desta segunda-feira (26). (Foto: Paulo Lisboa/Brazil Photo Press /Folhapress)

O ex-secretário da Prefeitura de Guarulhos, Branislav Kontic, tentou suicídio e foi transferido de presídio. Ele, que também foi assessor do ex-ministro Antonio Palocci, foi detido em São Paulo na 35ª fase da Operação Lava Jato, juntamente com Palocci, na segunda-feira passada (26).

Kontic comandou a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SDU) durante as duas gestões do ex-prefeito Elói Pietá (PT). Ele tentou suicídio no último sábado (1º), mas a informação só foi divulgada nesta quinta-feira (6), pela Polícia Federal. Kontic é apontado na Lava Jato como um dos responsáveis por intermediar o contato entre o petista e o empresário Marcelo Odebrecht, que também está preso. Na semana passada, o juiz Sergio Moro acatou o pedido da PF para que tanto a prisão de Palocci quanto a de Kontic fossem convertidas em preventivas, ou seja, sem data para terminar.

Segundo relatos de agentes e advogados, ele se desesperou e tomou medicamentos em quantidade elevada. Os policiais levaram Kontic para o Hospital Santa Cruz, onde foi internado no CTI (Centro de Tratamento Intensivo) e submetido a uma lavagem estomacal. Na última segunda-feira (3), o ex-secretário teve alta e foi levado para o CMP (Complexo Médico Penal), em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.
No mesmo presídio estão outros envolvidos na Lava Jato, como o ex-ministro José Dirceu e o ex-deputado André Vargas. Palocci, porém, continua na sede da PF, na capital paranaense.
Em ofício a Moro, o delegado Igor Romário de Paula solicitou a transferência do investigado “por motivos médicos”.

No Complexo Médico Penal, Kontic ficaria “sob acompanhamento especializado”, escreveu o delegado, que confirmou a internação do último sábado “para acompanhamento médico e realização de exames”, mas não informou o motivo.
Relatos de investigados na Lava Jato que já estiveram presos tanto na sede da PF quanto no CMP afirmam que rotina no Complexo Penal é melhor, já que em boa parte do dia os detentos podem ficar fora das celas e realizar trabalhos manuais. O mesmo não acontece na sede da PF, onde os presos têm apenas duas horas de sol.

Resposta – Procurada, a assessoria da PF confirmou que Kontic passou mal após tomar remédios e foi internado no sábado, mas não informou qual era o problema de saúde. O advogado do investigado, José Roberto Batochio, disse que ainda “estava procurando se inteirar do assunto” para saber o que de fato ocorreu. “Mas sei que, em casos de tanta pressão como esse, muitos chegam a fazer delação premiada e outros podem tomar atitudes mais extremadas”, afirmou o defensor.