Plano de Saúde deixa de ser prioridade para quase 40 mil guarulhenses

Em função da crise econômica que assola o País nos últimos anos, o plano de saúde, um daqueles itens considerado de extrema importância no âmbito familiar, passou a ficar em segundo plano. Cerca de 40 mil guarulhenses cancelaram seus planos entre os anos de 2014 e 2016. A rede pública municipal de Saúde também apresentou queda no atendimento a população.

No mês de dezembro de 2014, o município de Guarulhos contava com 564.063 beneficiários em planos de assistência médica; em dezembro de 2015, o número passou para 549.973; em dezembro de 2016, o número de beneficiários registrado era 525.587 beneficiários. Em dois anos, portanto, o número de beneficiários em planos de assistência médica no município teve uma queda de 38,4 mil beneficiários.

Sobre os fatores que influenciaram a queda: De maneira geral, o comportamento e a expansão do mercado de saúde suplementar estão historicamente vinculados às empresas que oferecem planos de saúde coletivos para seus funcionários. Essa modalidade de comercialização sempre foi a mais robusta e se mantém assim: atualmente, no país, mais de 66,2% dos beneficiários de planos de saúde estão em planos coletivos empresariais.

De acordo com a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), é natural que a situação econômico-financeira e o crescimento ou queda da empregabilidade no país influenciem diretamente empresas e consumidores, provocando aumento ou redução do número de beneficiários, de acordo com o cenário. Sendo assim, uma melhora nessas condições tende a se refletir positivamente também no mercado de saúde suplementar.

Já o Governo Municipal, por meio da Secretaria de Saúde, revelou que neste mesmo período houve queda em aproximadamente 11% no número de atendimento ambulatorial e internações hospitalares no mesmo período. Em 2014 foram atendidos quase 16 mil pacientes e pouco mais de 33 mil internações. Em contrapartida, dois anos depois este índice passou para 13 mil atendimentos e outras 30 mil internações.

Reportagem: Antônio Boaventura
Foto: Ivanildo Porto