CEI da Quitaúna convoca representante da Cetesb para falar sobre condições de aterro

Reportagem: Antônio Boaventura

A CEI (Comissão Especial de Inquérito) que investiga a compra do aterro sanitário da Quitaúna pelo ex-prefeito Sebastião Almeida, nos últimos dias de seu governo em dezembro do ano passado, convocou nesta quinta-feira (09), em sua primeira atividade, o representante da Agência da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) de Guarulhos para prestar esclarecimentos sobre as condições da área que custou aos cofres públicos R$ 3,4 milhões.

Entretanto, os responsáveis pela comissão enviaram o convite para o gestor da companhia na cidade, que não responde pelas questões ambientais do município. A agência de Pinheiros, na zona oeste da Capital, é a responsável por Guarulhos. Em contato com Rafael Okamoto, gerente da companhia na cidade, ele afirmou ter recusado o convite em função desta divergência.

“Já assinamos a convocação do gerente da Cetesb para explicar as questões técnicas do aterro. Qual o tempo de vida útil e quanto tempo vai demorar para fazer a recuperação daquela área”, explicou o vereador e presidente da comissão, Marcelo Seminaldo (PT).

Em sua primeira ação, o presidente da comissão revelou que já foram solicitados documentos que atestam a compra do terreno pela prefeitura. Ele também ressaltou que a área será entregue ao município no final de 2018.

“Nós pedimos a cópia do contrato que originaram a aquisição da área, além de todos os aditivos de contrato da Quitaúna com a prefeitura. Em 2018 a área será entregue e não poderá mais ser usada como aterro sanitário”, concluiu.