Previsto para ser reaberto na próxima semana, já que o processo de licitação foi cancelado pela Secretaria de Saúde na última sexta-feira (25), o edital para escolha do novo administrador do Hospital Municipal Pimentas–Bonsucesso (HMPB) prevê um orçamento mensal de R$ 7 milhões por mês. Ou seja, R$ 84 milhões por ano.
De acordo com a secretaria, o cancelamento do processo de contratação foi interrompido para que a proposta pudesse ser readequada aos termos técnicos, que não foram revelados, de referência do edital. Segundo informações obtidas pelo HOJE, cerca de 11 organizações sociais participavam da concorrência pública.

Durante o processo, cinco postulantes tiveram suas participações indeferidas, e por isso recorreram por meio de recurso contra a eliminação na licitação. Também cabe recurso contra a revogação do chamamento realizado pela prefeitura.

Entretanto, entidades como o Instituto Gerir, responsável pela gestão do Hospital Municipal de Urgências (HMU), Hospital Municipal da Criança e do Adolescente (HMCA) e Policlínica Paraventi, Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), atual gestora do Hospital Municipal Pimentas–Bonsucesso (HMPB), e Fundação do ABC, que administra outras três unidades de saúde do município, não demonstraram interesse em participar do processo de seleção.

Entretanto, a SPDM continua na administração do hospital até o dia 1º de novembro. A sua permanência se deve ao fato da obrigatoriedade imposta por contrato para cumprimento de metas estabelecidas entre o município e a entidade, incluindo o período de transição entre a atual gestora e a vencedora do certame público.

Reportagem: Antônio Boaventura
antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br
Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here