De um total de 23 ambulâncias, apenas cinco estão disponíveis à população para atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O número está abaixo do determinado pelo Ministério da Saúde que seria 14 veículos. Com o número reduzido, há também três ambulâncias que estão com mais de cinco anos de uso e em condições precárias para a realização de serviços.

Segundo a Secretaria da Saúde, já foi solicitada a reposição desses veículos. Já as demais ambulâncias estão em manutenção. No mês de janeiro, em uma cerimônia realizada na Prefeitura de São Paulo, o Ministério da Saúde destinou três novas ambulâncias para Guarulhos – o município que mais recebeu dentre os 57 escolhidos, com exceção da capital, com 14 veículos. As viaturas entraram em operação no dia 24 do mesmo mês.

Na ocasião, foram entregues veículos totalmente equipados com desfibriladores, ventiladores e GPS. As novas viaturas são utilizadas no apoio ao serviço de suporte avançado, que realiza o atendimento de vítimas mais graves, contando com a presença de médicos socorristas. Além da situação das ambulâncias, a prefeitura resolveu encerrar o contrato com a ONG Plural Educação e Cidadania, que era responsável pelo atendimento da Central 192 do Samu, antes do término previsto (maio de 2019). Com a saída da entidade, atendentes do Sistema Único de Saúde (SUS) assumiram o serviço pelo atendimento na última quinta-feira (14).

Reportagem: Ulisses Carvalho
[email protected]
Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here