Além das salas de aulas, professores e alunos da rede estadual de Guarulhos adotaram as hortas como espaço adicional para o ensino de disciplinas como Ciências, Geografia e até Matemática.
Há 30 instituições na cidade que possuem esse projeto. Uma delas é a E.E. Maria Angélica Soave que realiza o projeto “Plante”. A iniciativa, desempenhada desde o início deste semestre, trabalha temas de ciências com os alunos durante a execução de uma horta na escola.

“Junto com as turmas de 6º ano do Ensino Fundamental trabalho o conteúdo curricular na horta que criamos na escola. No espaço, podemos trabalhar temas como compostagem, meio-ambiente, ecologia e sustentabilidade. Também conto com a parceria da professora Dilma, que realiza essa mesma dinâmica de ações na composteira. Todas as sobras de comida, principalmente cascas de frutas e legumes, são reutilizadas para produção de adubo. Os alunos são muito empolgados com o projeto. Eles trazem mudas para serem plantadas e são engajados para regar e cuidar das hortaliças”, conta a professora de Ciências e Biologia da unidade, Silvana Rosa de Oliveira.

Já na escola Cyro Barreiros, o espaço ocioso que continha mato e pedra, tornou-se numa área verde para proveito dos alunos. Junto com o Grêmio Estudantil, a equipe da unidade começou no ano passado um processo de transformação da área livre. Hoje a horta produz couve, alface, escarola e repolho. E em outro canteiro da horta, a escola produz plantas medicinais como hortelã, arruda, alecrim e boldo. Os participantes do Escola da Família também realizam a conservação e limpeza do espaço aos finais de semana.

“Não só os professores de Ciências, mas os de Geografia e História utilizam o espaço para estudo e como ambiente de aprendizagem para os alunos. Os alunos do grêmio ‘Aluno Cidadão’ trouxeram dos avós as plantas medicinais para compor a horta”, comenta o professor de Ciências e vice-diretor da escola, Aldirlei Garcia.

Alimentos produzidos são utilizados na merenda escolar

O resultado da produção das hortas, como alface, coentro, salsinha e cebolinha, é consumido pelos próprios estudantes na merenda. Na Escola Estadual Frederico de Barros Brotero, todos os alimentos também são distribuídos para consumo dos funcionários e professores da escola.
A unidade possui três canteiros para cultivo de produtos como alface, escarola e temperos, além de um espaço para plantação de mandioca, abóbora e brócolis. Os estudantes são responsáveis por regar e cuidar do espaço. “Nós contamos com a parceria da comunidade escolar para avivar o espaço, inclusive uma mãe de aluno trouxe mudas para serem plantadas na horta. Aliado ao projeto horta, criamos este ano um jardim com fonte para mudar o espaço ao ar livre da escola”, explica a vice-diretora da unidade, Eliser Aparecida Antunes Celso.

Pesquisa realizada pela equipe de Meio Ambiente da Secretaria da Educação com 1.200 escolas revelou que metade utilizam essas áreas verdes para fins didáticos. O levantamento revelou ainda que 62% aproveitam para praticar hábitos saudáveis.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here