Prefeitura pode contratar empresa de forma emergencial para coleta de lixo

Com 42 dias para o encerramento do contrato para coleta de lixo, a Prefeitura de Guarulhos deve optar pela contratação de empresa de forma emergencial para a referida prestação de serviço enquanto realiza o processo de licitação. O acordo com a empresa Quitauna Serviços S/C Ltda., que atualmente realiza a coleta, se encerra no dia 30 do próximo mês.

“O maior problema neste processo são os recursos realizados pelos participantes da licitação, isso em função do alto valor do serviço. Acredito que deve acontecer neste processo o que ocorreu com a do aterro. Mas, a cidade não irá ficar nenhum dia sem a coleta”, disse um funcionário da prefeitura, que pediu para não ser identificado.

Já o vereador Edmilson Souza (PT), líder da oposição na Câmara, aponta a indefinição sobre a abertura do processo de licitação para o serviço de coleta de lixo como um problema para o município. “Nós estamos praticamente a menos de 50 dias e imagina o risco que corre uma cidade do tamanho da nossa sem coleta de lixo. Não concordo que seja feito um contrato emergencial. Tem que ser licitado. Contratar um serviço desse tamanho e alto valor sem uma licitação não pode”, explicou o parlamentar.

Entretanto, o HOJE apurou que existe a possibilidade de a administração municipal prorrogar o contrato com a Quitauna pelo período de três meses, até que se defina o processo de licitação, caso seja aberto. De acordo com o Departamento de Limpeza Urbana (Delurb), a coleta de resíduos domiciliares, em dezembro de 2016, teve alta de 8% em relação ao mês anterior, o que representa 2.200 toneladas a mais de materiais enviadas ao aterro sanitário.

Antônio Boaventura
[email protected]
Foto: Ivanildo Porto