O prefeito Guti (PSB) revelou nesta quarta-feira (20) durante a entrega das moradias no Parque Stella, que a prefeitura está elaborando programa habitacional para sanar o problema de desapropriação das áreas classificadas como irregulares pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Caso haja a desapropriação dos mais de 10 mil imóveis alocados em áreas consideradas de risco e de proteção ambiental, cerca de 46 mil moradores devem ficar desalojados.

A maior parte das famílias reside na região do Pimentas, com quase sete mil famílias. Ainda constam áreas no Jardim Ipanema, Cumbica, Monte Carmelo, Jardim Presidente Dutra, Mikail, Cidade Seródio, Vila Augusta, Santos Dumont, Bananal, Novo Recreio, Cabuçu e no Alvorada. Muitas das residências ocupam setor de encosta, com alta declividade e alto risco de deslizamento.

No entanto, Guti afirma que o projeto habitacional, que pode se chamar Morar Bem, Morar Legal, precisa ser entregue ao Ministério Público Estadual, que segundo ele, terá como propósito amparar as pessoas que estão envolvidas neste imbróglio judicial.

“Ainda não finalizamos esse programa e pode ser um nome beta. Ele vai de encontro com a regularização fundiária. As glebas que estão regulares no município vão ser entregues glebas de terra para que as pessoas possam construir. É um programa complexo que precisa de mais maturação”, concluiu.

Antônio Boaventura

antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here