Obra “Guardiões da Vida” é entregue por Gilmar Pinna a Batalhão da Polícia Militar

Obra “Guardiões da Vida” é entregue por Gilmar Pinna a Batalhão da Polícia Militar

Aquele que transitar pela alameda das Azaléias, no Parque Cecap, irá se deparar com a obra “Guardiões da Vida”, idealizada pelo artista plástico Gilmar Pinna, e entregue nesta terça-feira (27) ao 44º Batalhão da Polícia Militar, que abriga a Força Tática. Segundo Pinna, ela tem como propósito provocar a reflexão sobre o papel da polícia dentro da sociedade.

Esta proposta, diz o artista plástico, começou a ser desenhada em março do ano passado em parceria com os comandantes daquele batalhão. Para ilustrar seu pensamento em relação ao exercício da profissão, ele construiu a obra com base nas ações integradas entre policiais e a sociedade, ilustrando momentos que pudessem ter como significado a proteção – na escultura, policiais protegem uma criança e uma gestante.

“Aproveitar o momento da falta de segurança no país e de também estar levantando a autoestima dos policiais. Esses profissionais sofrem muitas críticas e têm 95% de seu trabalho voltado para o social”, explicou Pinna.

Além de valorizar o trabalho de segurança prestado pela Polícia Militar, Pinna ressaltou que a obra também serve como uma critica ao atual momento que o país atravessa na área de segurança pública. Ele entende que a postura precisa ser alterada.

“A leitura que eu tenho da polícia é que eles são guardiões. Eles não andam matando gente inocente. Eu sou em defesa da arte e por meio dela, passo as minhas mensagens”, explicou.

Já o tenente-coronel Eduardo Andrade, comandante do batalhão, acredita que a obra tem o poder de aproximar a sociedade da polícia, além de destacar a importância que a mesma terá no entendimento da tarefa da Polícia Militar.

“Temos a felicidade de ter esta obra concluída. É uma oportunidade de reflexão do papel da polícia na sociedade. O pessoal para aqui para conversar sobre o significado dela. Isso já é um mote para a população se aproximar e conversar com o policial”, concluiu.

Antônio Boaventura

antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

Foto: Ivanildo Porto

Deixe seu Comentário