A microempresária Jéssica Cavalcante de Oliveira, 29, moradora da Vila Augusta, alega que o Hospital Municipal da Criança e do Adolescente (HMCA), localizado na rua José Maurício, n° 191, na região central, está com falta de médico, após levar o filho e desistir de aguardar o atendimento, já que havia mais de 50 crianças aguardando por atendimento, alega Jéssica.

“Cheguei às 22h no sábado (28), e fiquei até às 00h, porque o segurança do hospital me falou que só havia um médico e a fila estava em 50 crianças”, revelou alegando que cada criança era chamada a cada vinte minutos. Mesmo com o retorno para a casa, Jéssica voltou ao hospital no domingo (29), às 4h30, após o estado de saúde do filho de seis anos piorar.

A criança estava com laringite, de acordo com a mãe, que estaria causando muita tosse e falta de ar. “Quando retornei, já havia três médicos, porém, ainda houve muita desorganização para saber quem iria aplicar a medicação no meu filho, já que era troca de plantão”, afirmou a mãe, criticando a demora na aplicação do medicamento.

A reportagem do HOJE questionou o Instituto Gerir, responsável pela administração do HMCA, que em resposta, afirmou não existir falta de médicos dentro da  unidade. “Vinte minutos de espera por atendimento, que não seja de urgência, é um prazo compatível com o que é praticado nos melhores hospitais privados do país”.

Reportagem: Ulisses Carvalho

ulissescarvalho@grupomgcom.com.br

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here