Apesar da intensa movimentação, os trabalhos da Câmara Municipal nesta terça-feira (8) estiveram longe do cenário registrado na última quinta-feira (3), quando integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL), que apoia a aprovação do projeto Escola Sem Partido, entraram em confronto com grupo contrário à proposta. A proposta será deliberada nesta quinta-feira (10) em sessão extraordinária.

“Caso este projeto seja deliberado na quinta, que passe pelas comissões, mas não somente por elas, e também pelos educadores da cidade para debaterem em audiência pública. O que nós estamos votando não é de pouca importância”, disse o líder da oposição, vereador Edmilson Souza (PT).

Em contrapartida, o vereador Laércio Sandes (DEM), autor do projeto, entende que a proposta tem como objetivo evitar que os limites educacionais sejam ultrapassados.

Para que o projeto possa seguir os trâmites legais na Casa de Leis, é necessário a aprovação dele através de deliberação – precisa no mínimo de 18 votos -, para ter condição de ser avaliado pelas comissões parlamentares e retornar ao plenário para votação. Sandes condenou os atos de violência e espera uma discussão democrática da proposta.

“A discussão democrática é bom para todos. O que não é bom é o confronto como aconteceu na última quinta-feira nos fundos da Câmara Municipal. Isso não é bom e nem saudável, até por que somos todos guarulhenses e temos que nos respeitar pelo crescimento da cidade”, concluiu Sandes.

Antônio Boaventura

antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here