Acusado de assédio na Rússia tem seu desligamento confirmado pela Latam em Guarulhos

Um dos acusados de cometer assédio contra as mulheres na Rússia durante a Copa do Mundo, teve o seu desligamento confirmado na manhã desta quarta-feira (20), pela companhia aérea Latam. A empresa afirmou que Felipe Wilson, que fazia parte do quadro de funcionários da companhia, ocupando o cargo de supervisor de voos  no Aeroporto Internacional de São Paulo-Guarulhos não está mais no cargo, porém, não esclareceu quando houve a demissão.

“O rapaz não faz mais parte do quadro de funcionários da companhia”, afirmou a Latam. Em um segundo vídeo que está circulando pelas redes sociais, Wilson estaria ao lado de mais dois homens ensinando as mulheres a falar em português palavras como “Eu quero dar a b*** para vocês”.

Além da tentativa de ensinar as mulheres a falarem de forma pornográfica, os dois homens estariam ensinando que as mulheres russas a falar que gostariam de ter relações sexuais com eles. Questionada sobre o ex-funcionário, a Latam Airlines Brasil, afirmou que repudia veemente qualquer tipo de ofensa ou prática discriminatória e reforçou também que qualquer opinião que contrarie o respeito não reflete os valores e princípios da empresa.

A companhia também fez questão de ressaltar que a partir deste caso, tomou as medidas cabíveis, conforme o seu código de ética e conduta. O primeiro vídeo divulgado nas redes sociais que seria de assédio de brasileiros em jovens russas começou a circular no domingo (17), no qual já foram identificados alguns brasileiros que estariam praticando o assédio, sendo um deles o engenheiro civil Luciano Gil Mendes Coelho, que já foi Secretário de Educação e de Saúde do estado do Piauí, além do advogado e ex-secretário de turismo da cidade de Ipojuca, no estado de Pernambuco, Diego Valença Jatobá e Eduardo Nunes, tenente da Polícia Militar de Santa Catarina.

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

Foto: Reprodução