Fora de operação desde o final do mês de março deste ano, motoristas torcem para que o estacionamento rotativo (Zona Azul) permaneça inativo. De acordo com eles, neste período foi possível economizar o valor que antes era investido para utilizar as vagas nas vias da região central da cidade.

“A gente consegue ficar mais tranquila em relação ao tempo que o carro fica estacionado e não precisa ficar correndo. Eu gastava entre R$ 6 e R$ 7”, disse a assistente administrativa Tainá Lopes, 21 anos.

A prefeitura pretende modernizar o sistema e, inclusive, já enviou proposta para avaliação dos vereadores da Câmara Municipal. O projeto deve ser votado em agosto, após o retorno do recesso parlamentar. A concessão do serviço será de 5 anos.

“Minha mãe reside, aqui, há 33 anos. Desde quando instituiu este rotativo, fica mais difícil pra qualquer um estacionar porque fica mais caro. Para mim é péssimo, porque quando não há espaço para estacionar dentro de casa eu preciso pagar”, observou a advogada Fabíola Figueiredo, 44.

Os valores praticados no período entre janeiro de 2016 e março de 2018 para uso da Zona Azul eram os seguintes: Trinta minutos era o equivalente a R$ 1,25, Sessenta minutos custava R$ 2,50 e 120 minutos correspondia a R$ 4. A proposta do estacionamento rotativo na cidade de Guarulhos, denominado de Zona Azul, foi criado em 1977 durante o governo do ex-prefeito Néfi Tales. A cidade conta com quase 70 equipamentos e aproximadamente 40 pontos de vendas, além do aplicativo Mobilicidade.

Antônio Boaventura

antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here