Guarulhos registra casos de crime eleitoral nas regiões do Bonsucesso e Taboão

Antônio Boaventura

[email protected]

Pelo menos dois casos de crimes eleitorais foram registrados na cidade durante o período de votação, que teve início às 08h e termino às 17h. Os episódios aconteceram nas regiões do Bonsucesso e do Bela Vista. Nestas situações quatro pessoas foram presas e conduzidas ao sétimo e nono Distrito Policial, localizados respectivamente, nos bairros do Jardim São João e Taboão.

No bairro de Bonsucesso, policiais militares flagraram três pessoas por cometerem o crime eleitoral de boca de urna, que ocupavam um veículo do tipo Kombi [Vermelha], jogando santinhos pelas ruas próximas aos colégios eleitorais. Os infratores foram conduzidos para o sétimo Distrito Policial e possivelmente devem responder em liberdade. O destino do automóvel e do material ficam a cargo da Justiça Eleitoral.

O caso mais inusitado ocorreu na Escola Glauber Rocha, que está localizada no bairro Bela Vista. Por lá um eleitor, que segundo apuração do HOJE convive com problemas mentais, danificou uma urna eletrônica sem qualquer motivação. O mesmo foi conduzido para o nono Distrito Policial, localizado no Taboão. Neste caso, a Justiça Eleitoral também fica encarregada de analisar esta ocorrência.

Além dos incidentes, muitos eleitores reclamaram da velocidade dos aparatos tecnológicos utilizados para captura do voto, uma vez que a partir deste pleito eleitoral a escolha dos candidatos passa a ser através da biometria. No entanto, não houve nenhum registro de qualquer eleitor que deixou de fazer o cadastro nos locais de votação em busca de exercer o seu voto.

“Está muito lento a votação pela biometria. Foi rápido, mas precisa deste pequeno ajuste. Além da lentidão estava travando, mas acredito que pela agilidade não causou muitos problemas”, disse Ricardo Assunção, 48 anos.

Substituição de urnas – Em consulta aos sete cartórios eleitorais que o município possui, o HOJE obteve a informação de que houve a necessidade de trocar cinco urnas eletrônicas que apresentaram problemas durante o processo de votação, uma delas teria como destino a justificativa da ausência domicílio eleitoral em que o eleitor está cadastrado.