O tradicional Novembro Negro pretende construir simbolicamente uma imagem positiva sobre a população negra, disseminando sua riqueza na produção de conhecimentos, artes e cultura. Dessa forma, a Secretaria de Direitos Humanos, por meio da Subsecretaria de Igualdade Racial, organiza uma programação com atividades formativas, educacionais, culturais e foco em políticas públicas, com o objetivo de desconstruir estereótipos e preconceitos sobre as populações negras.

Nesta segunda-feira (5), das 9 às 11 horas, a abertura oficial do Novembro Negro será por meio de um amplo debate que será realizado na sede da Secretaria Municipal de Justiça (av. Salgado Filho, 494 Centro), dirigido para procuradores, advogados, estudantes de direitos e interessados na temática.

O tema será “Zumbi dos Palmares: Educação como ferramenta para romper as desigualdades”, e a abertura contará com a participação do subsecretário da Igualdade Racial Anderson Guimarães. Na oportunidade, serão palestrantes Robson Ferreira, coordenador do curso de Direito da Faculdade Zumbi dos Palmares, mestrando em Direitos Humanos pela Unifieo;  Aloysio Vilarino dos Santos – procurador da USP, mestre e doutor pela PUC/SP; Jonathan Feliciano, secretário da Comissão de Direitos e Prerrogativas da OAB/Guarulhos; Alexandre de Sá Domingues, presidente da 57º Subseção da OAB e professor do Centro Universitário da FIG/Unimesp; Airton Trevisan, secretário municipal de Justiça; o advogado Paulo Cézar Azarias; Ossana Chememian Tolmajian, diretora e coordenadora do curso de Direito das Faculdades Integradas de Guarulhos.

Ainda na mesma data, das 8h às 13 horas, no Auditório 7 do Adamastor Centro (Avenida Monteiro Lobato, 734) a Secretaria Municipal de Saúde promoverá a palestra Saúde da População Negra Público, voltada para profissionais da área

Posicionamento

“A investigação dos contornos econômicos e sociais das desigualdades presentes no Brasil apresenta-se como prioridade para construção de uma sociedade democrática, socialmente justa e economicamente eficiente”, destaca o subsecretário da Igualdade Racial, Anderson da Silva Guimarães.

A própria abertura do evento nesta segunda-feira (5) já se trata de um momento histórico, já que nunca a Secretaria de Justiça encabeçou uma pauta referente às questões raciais. “Esse ano vamos discutir o Novembro Negro no viés da política pública, da garantia do direito para o povo negro”, destaca Guimarães.

Exposição

A programação do Novembro Negro inclui a exposição “Mulheres Negras: Abolição, protagonismo e resistência”. Ela visa resgatar histórias e memórias de mulheres negras que fizeram frente a um sistema opressor, desde a escravização, a abolição tardia e inconclusa, a proclamação da república, o período da ditadura até os anos 90.

“A persistência das desigualdades no Brasil está associada à naturalidade de como isso é encarado, portanto é normalmente atribuído ao indivíduo a responsabilidade para a sua construção econômica, social e política quando na verdade é desconsiderado todo o abandono após a abolição da escravatura”, finaliza o subsecretário.

Confira os locais e dias da exposição:

Até 6 de novembro – Secretaria de Justiça (avenida Salgado Filho, 494 – Centro)

08 a 12/11 – Fundação Casa de Itaquaquecetuba (

13 a 25/11 – Centro Permanente de Exposições de Arte Prof. José Ismael (Praça Cícero Miranda, s/nº – Lago dos Patos, Vila Galvão)

26 e 27/11 – EE Inocoop II

28, 29 e 30/11 – UBS Continental (

11/12 – Forum de Direitos Humanos – Adamastor (avenida Monteiro Lobato, 734 – Macedo)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here