O mês de janeiro ficará marcado pelo forte calor com temperaturas acima da média histórica dos últimos anos e, segundo os meteorologistas, fevereiro não será diferente. Por isso, a Secretaria de Saúde alerta para os riscos de desidratação nessa época do ano, principalmente em crianças, e pede aos pais para ficarem atentos, pois as complicações podem ser maiores no público infantil.

“A criança tem uma piora muito rápida. Em situações mais graves, pode apresentar vômitos e diarreias, sendo necessário nesses casos buscar atendimento em uma unidade de Saúde”, explica o coordenador médico do Samu 192 Guarulhos, Helder Takeo Kogawa. Ele observa que os pais devem ficar atentos a sinais de desidratação em seus filhos, como boca e pele secas, choro sem lágrimas e fraldas secas.

E não é somente o público infantil que merece cuidado nessa época do ano, mas também os idosos, que são igualmente vulneráveis à desidratação. Isso ocorre devido a uma série de fatores fisiológicos do próprio corpo nessas faixas etárias. Assim como os alimentos, a quantidade de água que cada pessoa necessita varia de acordo com a idade, peso e tipo de atividade física realizada, além de outros fatores como o clima e a temperatura do ambiente onde vive. Portanto, principalmente durante o verão, quando o calor é intenso, é preciso ficar atento e ingerir bastante água.

“O verão nos estimula à prática esportiva, aos passeios à praia e às atividades ao ar livre. No entanto, é importante lembrar que devemos repor adequadamente a quantidade de líquidos e sais minerais perdidos. Para tanto, é necessário a hidratação com sucos, chás sem adição de açúcar, bem como fazer o uso de alimentos de fácil digestão como carnes magras, alface, agrião, tomate e frutas em geral, especialmente melancia, abacaxi, laranja, entre outras”, destaca o médico socorrista Tiago Estevam de Almeida.

Segundo informações do Ministério da Saúde, mais da metade do peso do corpo humano é constituído por água, componente fundamental de todas as células do organismo. A água ajuda a regular a temperatura corporal e o funcionamento dos órgãos, elimina toxinas, ajuda na lubrificação de mucosas e age como um veículo de transporte de nutrientes. Essencial para a manutenção da vida, sem ela não sobrevivemos mais do que poucos dias.

Dessa forma, é importante seguir algumas dicas para a proteção de crianças, adultos e idosos nessa estação mais quente do ano, tais como: reforçar a hidratação antes de realizar exercícios físicos e respeitar seus limites. Segundo informações do Ministério da Saúde, em média, a água ingerida consegue hidratar o corpo por até uma hora de atividades. Após isso, ela sozinha já não consegue repor os sais minerais perdidos. Uma alternativa é ingerir alimentos como maçã, torradas ou bolachas de sal.

Outra recomendação é praticar atividades físicas em local adequado. Parques e praças com muitas árvores são boas opções para fugir do calor. No caso de viagens, a pessoa deve verificar se o destino é uma região de risco e se é necessário tomar alguma vacina. A ocorrência de algumas doenças, como a febre amarela, é mais comum no verão. Já no trajeto deve ficar atenta à água não tratada e às bebidas preparadas com gelo de origem duvidosa. Se a viagem for muito longa é indicado fazer paradas e se movimentar para evitar inchaços, que são mais comuns no calor.

Cuidados com crianças, adultos e idosos:

O Ministério da Saúde alerta os pais para aplicar filtro solar com FPS 25 ou mais a partir dos seis meses de idade, lembrando que também devem optar por locais com sombra e arejados. Outros cuidados para garantir a saúde das crianças no verão é vesti-las com roupas leves; incentivá-las a lavar as mãos com frequência; verificar as condições de higiene dos alimentos, especialmente se a refeição for realizada fora de casa; além de oferecer líquidos regularmente para mantê-las hidratadas.

No caso dos adultos, a recomendação é para que também façam uso constante e correto de protetor solar. Além disso, outra dica do Ministério da Saúde é ingerir alimentos antioxidantes, como acerola, laranja, tomate, morango e cenoura, que ajudam a proteger a pele contra agressores externos e ainda hidratam.

Para os idosos a orientação é abusar do consumo de água, além de evitar alimentos gordurosos e muito condimentados.  Esses cuidados devem ser observados porque, no verão, os idosos podem ter complicações com o aumento da temperatura do corpo, desidratações, alterações de pressão e problemas alimentares, quadro que pode ser agravado pelo fato de eles terem menor sensação de sede e, consequentemente, ingerirem menos líquidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here