Simesp começa receber queixas de médicos sobre o aplicativo Saúde Guarulhos

Antônio Boaventura

[email protected]

Com apenas dez dias de seu lançamento, o aplicativo Saúde Guarulhos é alvo de queixas dos médicos que atendem no sistema de saúde do município. Alguns deles procuraram o Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) para questionar as condições de trabalho que o aparato tecnológico impõe aos profissionais.

“A prefeitura precisa reavaliar as condições de atendimento do aplicativo, até por que isso reflete no atendimento. Com o excesso de marcação, o tempo de atendimento no consultório é inferior a 15 minutos”, declarou Éder Gatti, presidente do Simesp.

Gatti também destacou a falta de controle da agenda de atendimento. De acordo com ele, os médicos não têm acesso ao agendamento de consultas, e que segundo eles, provoca sobrecarga. “É necessário corrigir logo. Este aplicativo está causando transtorno e um acumulo de quatro pacientes a mais por hora, principalmente, pela falta de controle”, explicou.

Já o presidente do Conselho Municipal de Saúde (CMS), Rogério Oliveira, se diz favorável aos processos tecnológicos, porém, criticou o modelo adotado pela prefeitura para implantação do aplicativo Saúde Guarulhos. De acordo com informações obtidas pelo HOJE, a administração pública contratou este serviço por R$ 6,7 milhões.

“Não vale tudo isso e foi dinheiro jogado no lixo. A tecnologia é muito bem vinda, mas não a qualquer preço. O aplicativo é para atender as 69 Unidades Básicas de Saúde, mas está apresentando muitos problemas”, disse Oliveira.

Um desses problemas está relacionado ao Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC), disponibilizado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) aos municípios. Sem a devida integração a este sistema, o aplicativo não conta com o histórico, os dados, procedimentos realizados e os resultados de exames dos pacientes do SUS, atendidos na Atenção Básica. O prontuário também permite a verificação, em tempo real, da disponibilidade de medicamentos ou mesmo o registro das visitas de agentes de saúde.