Pais de alunos temem que reforma da escola Maria Dirce II não fique pronta antes do inicio das aulas

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

Diversos pais de alunos da rede municipal que foram transferidos para a escola Maria Dirce II, localizada na rua Treze de Julho, n° 421, no bairro do Jardim Presidente Dutra , temem que as obras realizadas na unidade não fiquem prontas até o inicio das aulas, no próximo mês, devido a situação que se encontra a escola.

O Maria Dirce II foi uma escola estadual até o ano de 2017, e desde o mês de dezembro daquele ano, a unidade foi desativada pela Secretaria de Educação do estado de São Paulo (Seduc), porém, o estado cedeu o espaço no final do ano passado para a prefeitura, que irá utilizar a estrutura para torna-la uma escola municipal.

A obra de reforma do espaço será de responsabilidade da prefeitura, e diversos alunos que estudavam na Escola da Prefeitura de Guarulhos (EPG) Professor Wilson Pereira da Silva, localizada na rua Itajuibe, também no bairro do Jardim Presidente Dutra, foram transferidos para o Maria Dirce II.  Apesar de a reportagem utilizar a mesma nomenclatura da unidade quando era escola estadual, a administração municipal não informou se irá permanecer o mesmo nome ou se haverá mudança.

“Estamos no mês de janeiro e a escola está toda destruída. Eles alegam que vão reformar, porém, até agora não realizaram nada. Não tem luz, água e está com parte do teto quebrado, além do mato alto”, destacou a dona de casa Débora Silva Cunha de Freitas, 31. Já outra mãe de aluno, a auxiliar de enfermagem Alexandra Andrade da Silva, 43,  relata que mesmo a prefeitura afirmando que está reformando o prédio, não há resultado e os problemas continuam, inclusive, com fiação exposta.

Segundo a costureira Cláudia Oliveira do Nascimento, 37, a promessa era que a reforma estivesse concretizada no dia 20 deste mês. “Todos os pais temem chegar o inicio das aulas em fevereiro e as obras do prédio não estarem prontas. Não sabíamos que o prédio estava nessa situação”, revelou.

Prefeitura admite atraso nas obras, mas garante que a escola entrará em funcionamento

A prefeitura, através da Secretaria Municipal de Educação informou em nota enviada ao HOJE que elaborou um planejamento de reformas do prédio para o inicio do ano letivo, porém, mesmo antes de assumir a escola, as instalações teriam sido vandalizadas, exigindo um esforço maior para a obra.

“As obras sofreram atrasos, devido a imprevistos como excesso de chuvas, mas o ritmo dos trabalhos foi intensificado para recuperar o tempo perdido. Nesta quarta-feira (15), o secretário de Educação Paulo Matheus se reuniu com os pais e responsáveis para, de forma transparente, relatar todas as ocorrências e ouvir as demandas da comunidade. O secretário garantiu que a escola entrará em funcionamento, cumprindo todas as exigências de segurança e oferecendo o conforto necessário a alunos, professores e funcionários”, destacou a secretaria.

Sobre a Escola Estadual Maria Dirce II, a secretaria informou que decidiu assumir o prédio para absorver os alunos matriculados em terceiro turno em unidade escolar próxima. “O Plano Nacional de Educação preconiza que todos os municípios brasileiros devem extinguir o chamado 3º turno, acabando com as diferenças de carga horária entre os períodos e, consequentemente, do nível de ensino entre os alunos da rede pública”, revelou a administração municipal.

Foto: Divulgação