Dória faz críticas à operação logística entre a Linha 13-Jade e o Aeroporto

Antônio Boaventura

[email protected]

Durante a entrega do primeiro trem com bagageiro da Linha 13-Jade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), nesta segunda-feira (03), o governador João Doria (PSDB) criticou a operação logística ou acesso das estações Cecap e Aeroporto, em Guarulhos, com o Aeroporto Internacional São Paulo-Guarulhos, em Cumbica. As obras para conexão estão previstas para começar ainda neste ano.

“A Linha 13-Jade será complementada na medida em que viabilizarmos com o governo federal e com o GRU Airport a extensão de mais 1.500 metros até os três terminais do Aeroporto Internacional de Guarulhos, que é fundamental para que a linha possa ter sua densidade e seu uso como deveria ser”, declarou Doria.

Prevista para ser entregue, inicialmente, antes da Copa do Mundo 2014, realizada no Brasil, custou aos cofres públicos aproximadamente R$ 2 bilhões. No entanto, só foi concluída em abril de 2018 com a expectativa de atender uma demanda de cerca de 120 mil passageiros/dia.

Atualmente, a Linha 13-Jade registra média de 15 mil passageiros transportados diariamente e 12 mil aos finais de semana. Ou seja, atende apenas 12,5% do esperado. E para acessar os terminais de embarque e desembarque do aeroporto, o usuário precisa utilizar o serviço de ônibus oferecido fora da estação.

“A meu ver, não é aceitável que uma linha leve passageiros e trabalhadores até o Aeroporto Internacional de Guarulhos ou traga passageiros e trabalhadores, e não chegue ao aeroporto”, concluiu.

Para reduzir os impactos de locomoção entre as estações e o aeroporto, Doria aposta na implantação do monotrilho. Contudo, aguarda uma aprovação formal por parte da Secretaria Nacional de Aviação Civil para a definição da empresa que implantará o sistema de transporte, segundo informação da concessionária responsável pela administração do aeroporto, o GRU Airport.

Foto: Divulgação Governo de SP