Bolsonaro diz que é preciso ‘enfrentar vírus como homem e não como moleque’

Bolsonaro visita farmácia, padaria e posto de gasolina em Brasília
O presidente Jair Bolsonaro é assediado por apoiadores ao visitar vários comércios locais ainda abertos em Brasília, na manhã deste domingo, 29 de março de 2020. (Foto: Marcos Pereira/AE)

Após visitar o comércio em Brasília e em cidades vizinhas neste domingo, 29, contrariando mais uma vez o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e autoridades médicas de todo o mundo que defendem o isolamento social contra o novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que é preciso enfrentar a doença “como homem, pô, não como moleque”. Na volta do passeio, disse ainda que é preciso tomar cuidado, especialmente os mais velhos, mas que um “dia todos nós vamos morrer”

“Temos o problema do vírus, temos, ninguém nega isso aí. Devemos tomar os devidos cuidados com os mais velhos, as pessoas do grupo de risco. Agora, o emprego é essencial. Essa é uma realidade. O vírus tá aí, vamos ter de enfrentá-lo, mas enfrentar como homem, pô, não como moleque. Vamos enfrentar o vírus com a realidade. É a vida, todos nós vamos morrer um dia”, afirmou.

Em seguida, para reforçar a necessidade de as pessoas trabalharem, informou que “mulheres estão apanhando em casa”, sem mencionar qualquer estudo a respeito.

“Vai condenar esse cara a ficar dentro de casa? Ficar dentro de casa? Ele não tem poupança, não tem renda. A geladeira, se tiver, já acabou a comida, pô. Tem que trabalhar, tem que sustentar a família, cuidar dos filhos. Temos um problema mais sério no momento. Tem mulher apanhando em casa. Por que isso? Em casa que falta pão, todos brigam e ninguém tem razão. Como é que acaba com isso? Tem que trabalhar, meu Deus do céu.”