Guarulhos recebe testes rápidos do Covid-19 e inicia testagem em profissionais de saúde e idosos de instituições

Guarulhos recebeu do Ministério da Saúde 12.740 testes rápidos do novo coronavírus (Covid-19). As 637 caixas com 20 unidades cada que chegaram este mês devem ser utilizadas exclusivamente em profissionais da rede municipal de Saúde em atividade e também em pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, que residam em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) ou que apresentem comorbidades de risco para a Covid-19, ou, ainda, sintomas agudo da doença  que são: sensação febril ou febre acompanhada de tosse ou dor de garganta, ou coriza, ou dificuldade para respirar.

A primeira guarulhense submetida ao teste rápido foi uma moradora de uma ILPIs na Vila Carmela, cujo resultado foi negativo. Segundo o Ministério da Saúde, a testagem rápida do Covid-19 também deve ser realizada para a população em situação de rua e profissionais que atuam nas unidades prisionais e na Fundação Casa.

Para a aplicação dos testes, a Secretaria de Saúde está fazendo uma busca ativa de idosos sintomáticos para o novo coronavírus em instituições de longa permanência do município e no território das Unidades Básicas de Saúde (UBS). Profissionais do Consultório na Rua do SUS também fazem o mesmo junto à população em situação de rua. Já os trabalhadores dos presídios e da Fundação Casa foram informados sobre a iniciativa e orientados a entrar em contato com a pasta em casos de quadros respiratórios agudos, para a realização do teste.

Diferentemente do exame PCR, que consiste na pesquisa direta do vírus nas mucosas das narinas e orofaringe e tem quase 100% de assertividade, o teste rápido somente pode ser realizado após o oitavo dia do surgimento dos sintomas de Covid-19. No caso dos profissionais de saúde da rede existe uma recomendação adicional para a aplicação do teste rápido: que a pessoa esteja há 72 horas assintomática.

Como os profissionais de Saúde já vinham sendo testados no município por meio do PCR, somente serão submetidos ao teste rápido aqueles que apresentaram sintomas e não colheram exame, no início da pandemia, ou nas situações em que o resultado foi inconclusivo.  Neste caso, a nova análise vai servir como complemento do diagnóstico, uma vez que o teste rápido identifica a resposta do organismo para a infecção do Covid-19, ou seja, o anticorpo.