Eleições 2020: Candidatos à Prefeitura querem maior fiscalização das medidas mitigadoras

Antônio Boaventura
[email protected]

Candidatos à Prefeitura esperam por maior fiscalização dos valores recebidos através das medidas mitigadoras que o município recebe com a chegada de novos empreendimentos. O percentual pago pode chegar até 5% do valor do investimento. Entre as soluções apontadas para atração de novas empresas, os candidatos apontam a utilização do ICMS como substituto desta taxa, maior transparência e melhoria na infraestrutura.

“É um tema muito sensível ao setor empresarial. As empresas procuram eficiência e a ,melhor cidade para incentivos fiscais ao ponto de implantar suas empresas. Entendemos temos algumas taxas que pode inviabilizar o fechamento de empreendimentos. Aquele recurso em algumas situações não tem onde ser aplicado aquele valor”, explicou Sílvio Alves, presidente da ACE Guarulhos.

O prefeito Guti, que trocou o PSB pelo PSD, e candidato à reeleição ressaltou a transparência de sua gestão em relação à arrecadação desta taxa. “É uma medida que precisa ser implementada para que possam ser absorvida pela região. Fizemos um grande evento onde 16 bilhões foram anunciadas. As regras nas gestões anteriores não eram claras. Isso dá margem para beneficiar uma empresa ou não. A gente tabelou o percentual correspondente. Trabalhamos com transparência e segurança jurídica”, disse.

Já Rodrigo Tavares (PRTB) entende que a melhor utilização do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) pode atrair novas empresas e com isso extinguir a cobrança da medida mitigadora. “O ICMS vai suprir essa eventual lacuna deixada pela medida mitigadora. Guarulhos precisa fazer a sua parte e implantar medidas para o progresso. Nós vamos valorizar os servidores público para produzir mais e melhor”, declarou Tavares.

Contudo, o vereador Eduardo Barreto, que concorre ao cargo de chefe do Poder Executivo pelo PROS, destacou a importância desta taxa, porém, entende que é necessário uma melhor fiscalização e propostas claras para a utilização deste recurso. “A medida mitigadora é importante para a cidade mas temos que ter sabedoria e fiscalização para usar e saber onde será usada”.

Em contrapartida, Wagner Freitas (PTB) criticou a infraestrutura atual do município e acredita que é preciso resolver os problemas sociais em primeiro lugar. “Como vamos fomentar empregos em uma cidade que tem vários problemas sociais. Quem vai montar uma empresa em Guarulhos? Não temos ninguém pensando no futuro. É uma cidade sem desenvolvimento”, concluiu.