Eleições 2020: Com candidaturas ainda em julgamento, composição da 18ª legislatura pode sofrer alterações

Da Redação
[email protected]

Após a apuração de 100% dos votos, cinco candidatos ainda têm chances de ocupar uma cadeira na Câmara Municipal na próxima legislatura (2021/2024), mesmo com os seus nomes fora da lista oficial de eleitos divulgada pelo TSE. Paulo Roberto (PTB), Jorginho Mota (PTC), Márcia Tascheti (PP), João Dárcio (Podemos) e Jayme Junior (Republicanos) podem integrar o parlamento guarulhense a partir de 1° de janeiro do ano que vem, após o julgamento de algumas pendências que estão sendo analisadas pela Justiça Eleitoral.

Paulo Roberto e Jorginho Mota alcançaram os votos necessários para serem eleitos, porém, os números não foram computados pelo fato de suas candidaturas estarem sub judice. De acordo com informações obtidas, as pendências se referem a falta de entrega de documentação específica, a qual ambos afirmam já terem realizado. Em caso de sentença favorável aos candidatos, perderiam as vagas Gladys Betinho Acredite (PTB) e Welliton Bezerra (PTC) respectivamente.

No caso da primeira suplente do PP, Márcia Tascheti, a candidata não conseguiu o número mínimo de votos necessários para se eleger, mas um dos candidatos de sua sigla que não teve seus votos computados pelo TSE, também por estar em situação sub judice, ingressou na Justiça Eleitoral para regularizar sua situação. Caso o juiz decida favoravelmente ao seu caso, os votos recebidos serão validados e com isso o PP ganharia o direito a mais uma cadeira no legislativo guarulhense, retirando a vaga de uma outra legenda, no caso a do vereador Dr. Alexandre Dentista (PSD), que já foi declarado eleito na sétima cadeira do seu partido.

Em situação semelhante está o candidato do Republicanos, Jayme Junior. Sua sigla tem 5 casos sub júdice. Se todos forem obtiverem pareceres favoráveis, o republicano retirará a vaga de do vereador Gilvan Passos do PSD, que diminuiria sua bancada de sete pra cinco vereadores.

O Podemos, numa situação mais difícil, que teve como o vereador mais votado da sigla, João Darcio, está na mesma expectativa em reeleger o atual parlamentar, já que a soma dos votos de seus oito vereadores, que também estão em situação sub judice, daria direito a uma cadeira para a sigla, retirando a candidata Fernanda Curti (PT), que hoje também figura como eleita na lista oficial do TSE. Contudo, a perda da cadeira petista depende de que todas as oito sentenças que estão tramitando na Justiça Eleitoral relativas ao Podemos sejam julgadas de forma positiva para os impugnados. A bancada petista cairia de 5 para 4.