Morre vítima da explosão em posto de combustível de Rio Claro (SP)

Uma pessoa morreu nesta quinta-feira (1) após a explosão no posto de combustível de Rio Claro, no interior de São Paulo, que fica no km 174 da rodovia Washington Luís. A vítima é um motorista que estava próximo ao caminhão e teria tentado apagar o fogo. Ele estava internado na Santa Casa e havia sido socorrido em estado grave. As informações são da Record TV.

Jovino Rocha de Andrade, de 42 anos, morreu às 4h10, segundo a assessoria da Santa Casa.

O estabelecimento passa por perícia. O objetivo é identificar o que provocou o incêndio seguido de explosão no início da noite de quarta-feira (30). Uma cratera se formou no solo.

A Defesa Civil analisa os danos não só no posto, mas também no restaurante, estacionamento e no alojamento de funcionários. Engenheiros da Secretaria de Obras vão avaliar os imóveis do entorno.

Onze veículos foram danificados com o impacto da explosão. Telhados foram lançados assim como vidros, portas e outros objetos. O cenário é de destruição total.

Segundo o capitão do Corpo de Bombeiros, André Elias, 17 pessoas foram socorridas, sendo duas em estado grave. O incêndio teria começado na roda de um dos caminhões, mas foi se alastrando rapidamente até atingir um outro caminhão carregado com produtro perigoso inflamável.

Os peritos da Polícia Civil querem saber qual o produto químico que teria provocado a explosão.

As vítimas seriam clientes do posto, que estavam também no restaurante, viram o incêndio e se aproximaram do local para filmar. Naquele momento, houve a explosão e as pessoas foram atingidas. O tremor foi sentido até 10 km de distância. 

De acordo com a Defesa Civil, o caminhão que explodiu estava parado em uma área de descanso, longe dos tanques. Devido a mecanismos de segurança, não houve explosão dos combustíveis subterrâneos.