OMS reforça pedido por atraso em doses de reforço até que todos sejam vacinados

Infectologista responsável pela resposta da Organização Mundial da Saúde (OMS) à pandemia de coronavírus, Maria Van Kerkhove reforçou, durante sessão de perguntas e respostas nesta terça-feira, o pedido da entidade multilateral para que países deixem os planos de oferecer doses de reforço aos seus cidadãos até que toda a população mundial mais vulnerável à covid-19 seja vacinada contra a doença.

Segundo ela, a “ideia de que nós podemos proteger uma população específica sem proteger o resto do mundo dá uma falsa sensação de segurança”, uma vez que variantes estão emergindo e viagens internacionais são retomadas. “O objetivo das vacinas contra a covid-19 é prevenir casos graves e mortes. Precisamos que pessoas de todos os países sejam imunizadas”, argumentou.

De acordo com Van Kerkhove, há “transmissão generalizada” do vírus no momento, com os Estados Unidos liderando as novas infecções.

A OMS recebeu, na semana passada, quase 4,5 milhões de registros de novos casos, enquanto 68 mil mortes por covid-19 foram reportadas no período, de acordo com a especialista.

Nas Américas, houve aumento de 8% em novos casos nos últimos sete dias, em relação ao mesmo período anterior, e alta de 10% nos óbitos, na mesma base de comparação, destacou Van Kerkhove.