Hospital da Criança inicia a implantação das Metas Internacionais de Segurança do Paciente

Foto: Giuliana Carmo/IDGT

O Hospital Municipal da Criança e do Adolescente (HMCA), em Guarulhos, administrado pelo IDGT, iniciou no final de setembro a implantação das “Metas Internacionais de Segurança do Paciente”, definidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Essas metas são adotadas por instituições de todo o mundo para oferecer um atendimento cada vez melhor e mais adequado, garantindo as boas práticas no cuidado assistencial.

A primeira meta é “Identificar o paciente corretamente”. O processo acontece por meio de pulseiras onde constam informações da pessoa atendida (nome completo da mãe, nome completo do paciente, data de nascimento e o dia do atendimento). “Ao chegar na unidade o paciente é examinado pelo enfermeiro, que avalia seu quadro clínico geral por meio de anamnese (histórico do paciente) e checagem de sinais vitais. Esse método de triagem, também conhecido como Classificação de Risco, determina a escala de urgência, indica a gravidade do quadro clínico do paciente e o tempo de espera recomendada”, explica a gerente assistencial Ingrid Ramos.

Para Leandro Bomfim, diretor geral do HMCA, a identificação precisa é um dos primeiros cuidados para um atendimento mais seguro. “Estou muito contente com o início deste programa e por fazer parte dele. Temos muitas expectativas positivas com a primeira meta em relação a organização e melhoria no atendimento. Implantaremos todas as metas no HMCA, pois a segurança do paciente é nossa prioridade.”

São seis as Metas Internacionais de Segurança do Paciente: identificar o paciente corretamente; melhorar a eficácia da comunicação; melhorar a segurança dos medicamentos de alta-vigilância; assegurar cirurgias com local de intervenção correto, procedimento correto e paciente correto; reduzir o risco de infecções associadas a cuidados de saúde; e reduzir o risco de danos ao paciente, decorrente de quedas.

Para implantar a primeira meta no HMCA foi necessária a criação de uma força tarefa e o empenho da equipe multidisciplinar. O projeto foi pensado, desenvolvido e está sendo colocado em prática pelos seguintes colaboradores: Luiz Fernando Borges, enfermeiro da educação continuada; Carolina Moura, enfermeira da qualidade; Patricia Toledo, enfermeira do SCIH; Elisabete Dantas, supervisora da Humanização; Ingrid Ramos, gerente assistencial; Leandro Bomfim, diretor-geral; Anna Karina Trombini, diretora técnica; e os técnicos de informática Maicon Santana, Ricardo Ferreira e Bianca Campos Ferreira.