Sabesp quer tratar 40% do esgoto de Guarulhos em 2022

Foto : Karina Yamada

“O desafio para 2022 é chegar a 40% do esgoto tratado”. A frase é do gerente Regional da Sabesp, Valdemir Viana de Freitas, que fez uma exposição sobre os trabalhos realizados pela empresa em Guarulhos, na tarde desta terça-feira (7). O principal investimento será a construção da Unidade de Recuperação da Qualidade da Água na Ponte Grande, com investimentos iniciais de R$68 milhões e com projeção de mais R$ 500 milhões ao longo de quatro anos.
Com a aprovação do projeto que garante a cessão da área, pela Câmara na semana passada, Viana explicou que serão feitos os licenciamentos necessários para a obra, com prazo estimado de três a quatro meses e, posteriormente, a construção da unidade deve consumir mais 12 meses. “Os impactos negativos podem ocorrer apenas no decorrer da obra”, garantiu.
O analista de Gestão da Sabesp, Samuel Camargo Neto, comemorou o fato de não ter havido reação negativa quanto ao tratamento de esgoto. “O que houve de divergência foi em relação ao local”, disse. A Sabesp informa que a área na Ponte Grande foi escolhida por uma questão técnica, sendo mais fácil interliga-la a outros sistemas existentes na Zona Norte de São Paulo. Freitas informa ainda que a Sabesp colocou 136 km de rede de esgoto.
De acordo com os dados da empresa, 1,2 milhão de pessoas eram atingidas pelo rodízio de água que existia no Município cerca de três anos atrás. “Hoje 98% da população recebe água diariamente. Foram investidos 100 milhões de reais para ter água todos os dias nas casas das pessoas”, garantiu Freitas. Foram construídos 55 quilômetros de rede de água de 2019 até agora.
Apenas 10% do abastecimento da cidade, segundo Freitas, é garantido pelos sistemas Tanque Grande e Cabuçu. “O restante vem do Sistema Cantareira e Tietê”, disse. Os representantes da Sabesp apresentaram também os números de atendimentos à população, troca de hidrômetro, pesquisa de vazamento, trocas de ramais, colocação de válvula de pressão entre outros dados.
Eles informaram também que o munícipe pode pesquisar e fazer a gestão do próprio consumo de água por meio do site da empresa utilizando o número de fornecimento existente na conta de água. Segundo Camargo, houve mudanças no layout da conta em função do sistema de processamento utilizado pela Sabesp, mas todas dúvidas podem ser sanadas nos canais de comunicação da empresa (www.sabesp.com.br).
A exposição sobre o trabalho realizado pela Sabesp em Guarulhos foi promovida pela Câmara Temática de Pesquisas e Proposições, cujo responsável é o coordenador de Projetos Estratégicos, Devanildo Damião. “O objetivo é trazer informações qualificadas para o Legislativo”, disse.