Grandes pandemias marcaram a história da humanidade e também a vida de Luiz Ovando

Foto: Reprodução/HOJETV

Nesta terça-feira (1º), o deputado federal pelo Mato Grosso do Sul, médico e professor universitário, Luiz Ovando (PSL) foi entrevistado pelo jornalista Maurício Siqueira no HOJE TV e relatou as grandes pandemias que marcaram a história da humanidade e também a sua vida, em todos os períodos que acabaram destruindo diferentes povos.

Entre 1918 e 1957, todos os vírus da gripe do tipo A eram descendentes mais fracos da gripe espanhola. Em 1957, houve um surto do vírus H2N2, chamado de gripe asiática, que os substituíram. Em 1968, ele foi substituído pelo H3N2, chamado de Gripe de Hong Kong, que persistiu sazonalmente.

“Eu tenho dito sempre para as pessoas, de uma maneira geral quando me questionam, que a minha experiência sobre pandemia é de quando a minha bisavó, que já faleceu há mais de 37 anos, me contava, quando eu era menino, sobre a gripe espanhola e que foi uma coisa avassaladora que ela viveu. Uma pandemia que eu vivi, que meu pai foi acometido por ela, foi a gripe espanhola de 1957. Essa eu tinha sete anos e isso foi geral. Depois, fui vítima da gripe de Hong Kong e eu tinha 16 anos quando fui acometido por ela, foi uma coisa terrível!”, contou o médico.

Ovando afirmou que nessas experiências ele não tinha condições técnico-científicas de entender. “Naquela época, a gente só aprendia na escola determinados princípios. Mas o que verdadeiramente mudou foi, exatamente, a politização de cada situação. Visando determinados contextos, principalmente o aspecto econômico, que nós sabemos que essa é a grande preocupação das grandes indústrias farmacêuticas que estão envolvendo os meios de comunicação para se manter uma narrativa que não é verdadeira”, explicou ele.

Para ele o que é visto atualmente em relação com a Gripe Espanhola é que alguns princípios foram mantidos e outros não. “Um princípio fundamental é de que um vírus, a gente não consegue segurar sua transmissão, salvo em determinadas situações, quando se tomam medidas extremas logo na fase inicial. O que não aconteceu nessa situação”, encerrou o médico.

O programa vai ao ar de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 9h, e pode ser acessado no Facebook (guarulhoshoje), YouTube (HOJE TV) ou pelo site www.guarulhoshoje.com.br.

- PUBLICIDADE -