Jornalista de Heliópolis publica livro ‘Favela no divã’ e tem obra aprovada na Lei Rouanet

Foto: Divulgação

Morar em uma favela não significa fincar os pés nela. Há momentos na vida que você pode se mudar para uma comunidade ou simplesmente viver porque nasceu dentro dela. Mas o tempo de moradia depende de você, assim como incorporar para a sua vida a violência e a criminalidade que ali permeiam é uma escolha pessoal.

Marcelo Barbosa escolheu outro caminho. Decidiu sair da favela de Heliópolis, zona sul de São Paulo, para ganhar o mundo. Correu atrás dos seus sonhos pessoais e profissionais, se formou em Jornalismo, e hoje aos 37 anos atua profissionalmente como professor do Sebrae. Para inspirar outras pessoas que vivem a mesma situação, lançou o livro “Favela no Divã”. Uma obra divertida, que mescla realidade com ficção, e expõe medo, angustia, fé e desejo por mudança.

O autor, que já morou em Mogi das Cruzes e mantém residência em Ferraz de Vasconcelos, narra e interpreta a própria história de vida para um terapeuta, que é ele mesmo. Em uma autoanálise, ele apresenta registros e desabafos daquilo que procurou descobrir: sua ligação com a favela e o seu desejo de sair dela. “O livro representa o período de transição social e emocional da minha vida, quando tive ansiedade e depressão por morar anos na favela, as terapias que realizei até chegar à minha curiosidade em ser um psicanalista. Compartilhar como superei esses desafios, era um sonho que virou realidade com a publicação da obra literária”, reforçou.

SONHO ADIADO POR AMEAÇA DE MORTE

Jornalista, Marcelo sempre gostou de escrever e tinha um sonho: contar sua história para que ela pudesse servir de inspiração para outras pessoas que vivem a mesma situação e não conseguem mudar por amarras sociais ou apenas psicológicas, por não se acharem capazes ou merecedoras de buscarem o que acreditam ser o melhor para suas vidas. Seus planos era lançar a obra há seis anos, mas uma ameaça de morte o fez adiar. “ Quando iniciei esse projeto editorial como o nome ´Diário de um ex-favelado´, os moradores entenderam que o termo ´ex-favelado´ era pejorativo, como se ao sair, a pessoa se tornaria melhor em relação as que ainda moram lá. Por causa disso, recebi ameaças de morte por pessoas não identificadas, dizendo que se eu publicasse o livro iria morrer”, destacou o autor.

Em 24 de setembro de 2021, Marcelo finalmente conseguiu materializar esse desejo e Favela no Divã foi lançado e está disponível em livrarias física e digital: https://m.magazineluiza.com.br/livr…/p/adj4b8ge7g/li/llit/.

PROJETO FINANCIADO PELA LEI ROUANET

A Secretaria Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura, ligada ao Ministério da Cultura, publicou no dia 30 de dezembro de 2021 a Portaria que ratifica o acesso do livro Favela no Divã à Lei Rouanet. Com a publicação, o autor está habilitado para buscar doações e patrocínios para o projeto. Em contrapartida, os apoiadores terão desconto no Imposto de Renda. “Agora estou procurando uma empresa parceira que vai investir nas ações sociais do livro”, explica.

CONTRAPARTIDA SOCIAL DO FAVELA NO DIVÃ

Por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, o escritor vai distribuir mil unidades da obra literária em escolas públicas de Ferraz de Vasconcelos, onde ele mora, e na região metropolitana de São Paulo, realizando ainda palestras e rodas de conversa sobre o tema do livro. Além disso, dois mil exemplares do livro serão distribuídos nas 178 unidades prisionais do Estado de São Paulo, com o intuito de atender a Lei da Remissão de Pena pela Leitura. “Saber que as dificuldades vivenciadas nos meus 37 anos de vida, podem servir como exemplo de superação para estudantes (muitas vezes presos pela incerteza da sua vida adulta) ou dos reclusos do sistema penitenciário, que podem ter um consumo literário para inspiração a novos comportamentos, me traz muito sentido de vida”, relatou o escritor.

- PUBLICIDADE -