Justiça manda soltar Monique, mãe de Henry, com tornozeleira eletrônica

Foto: Diulgação/TJ Bruno Dantas

Nesta terça-feira (05), a 2ª Vara Criminal do Rio de Janeiro decidiu permitir que Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, morto em 2021 vitima de maus tratos, deixe a prisão preventiva e passe a utilizar tornozeleira eletrônica.

Como justificativa, a juíza Elizabeth Machado Louro manifestou estar preocupada com as ameaças sofridas por Monique dentro da cadeia.

No texto, fica decisão ainda que, enquanto fora da cadeia, Monique está proibida de ter qualquer comunicação com terceiros, exceto familiares e integrantes de sua defesa, tanto de forma presencial quanto telefônica ou virtual, assim como postagens em redes sociais, sob pena de ordem prisional.  

 Enquanto isso, o ex vereador, Doutor Jairinho, padrasto do menino, continua preso.

- PUBLICIDADE -