Makro contrata Santander para vender lojas e preparar saída do Brasil

Foto: Google Street View

Dono da rede atacadista Makro, o grupo holandês SHV acaba de contratar o banco Santander para vender todas as suas 24 lojas no Brasil. O mercado estima que o valor da operação seja de até R$ 2 bilhões. Essa tentativa de saída do setor ocorre em um momento de grande crescimento dos atacarejos no Brasil, com mais brasileiros buscando economizar em suas compras em um cenário de alta inflação.

O Santander já circulou a oferta ao mercado, procurando todas as demais grandes redes que atuam com lojas de grande porte, confirmou o Estadão. A decisão de saída do grupo holandês do País ocorre dois anos depois da venda de 30 lojas da rede para o Carrefour, por R$ 1,95 bilhão. Os imóveis vendidos estavam em diversos Estados. O negócio foi um grande movimento do Carrefour para ampliar a presença do Atacadão, marca que adquiriu em 2007.

O Makro, desde então, vinha concentrando sua operação no Estado de São Paulo. No entanto, conforme fontes, o grupo acabou ficando pequeno e pouco competitivo perto de seus principais concorrentes, como o Atacadão e o Assai (que, recentemente, fez uma grande aquisição de lojas do Extra Hiper). O grupo holandês SVH atua em diversos outros negócios e já se desfez da operação de varejo na Europa há mais de 20 anos – daí a intenção de deixar esse setor também no Brasil.

Desde antes da pandemia, quando tinha faturamento de cerca de R$ 7 bilhões, o Makro vinha organizando sua operação para uma venda. A companhia fechou lojas ao longo da década passada e também modificou sua operação, antes voltada apenas a atacadistas, para aceitar cartões de crédito e débito, atendendo ao público geral.

Quando esse movimento de renovação veio, porém, a concorrência já tinha dominado o atacarejo. Durante muitos anos, só podia comprar na loja quem tinha o “passaporte” do Makro, o que limitava a clientela da companhia. Mesmo mais recentemente, a companhia ainda tinha boa parte de sua receita atrelada a restaurantes e lanchonetes de pequeno porte, que estão entre seus principais clientes.

O segmento do atacarejo é o que mais cresce no varejo alimentar no Brasil. Hoje são 2 mil lojas no País com um faturamento anual na casa de R$ 230 bilhões, de acordo com dados da Associação Brasileira dos Atacadistas de Autosserviços (Abaas) e da NielsenIQ. A expansão do número de lojas foi forte: 26% apenas em 2021, especialmente nas regiões Norte e Sul, além dos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

A intenção da venda das lojas remanescentes do Makro foi inicialmente divulgada pelo jornal Valor Econômico. O Estadão aguarda posicionamento do Santander sobre o assunto. A Makro informou que não comenta “rumores de mercado”.

- PUBLICIDADE -