Coluna 35

Feliz Páscoa

A prefeitura de Guarulhos fez a distribuição de 119 mil ovos de Páscoa para os alunos da rede pública de ensino. Uma compra que gerou elogios e também protestos. Elogios não apenas dos que apoiam o prefeitos e protestos, igualmente, não somente dos opositores. Enfim, nem lá nem cá. Mas o que valeu mesmo, ao final, foi a alegria das crianças que receberam o chocolate. Afinal, muitas não terão outro além desse e não teriam nenhum, não fosse esse. Como acompanhante da história administrativa da cidade há 40 anos e, nesse tempo, vendo tantos recursos mal-empregados, fico com a sensação de que o dinheiro foi bem empenhado.

Não é pecado

Diversas passagens bíblicas exaltam o trabalho e rejeitam a preguiça. Dessa forma, ainda não se sabe os motivos de que o Legislativo guarulhense insista em não realizar as sessões nas semanas Santas. Não é pecado trabalhar, principalmente para os que representam toda sociedade que não paralisou suas atividades. Várias tentativas foram feitas para evitar essa folga que, de santa, não tem nada.

Serviço dobrado

A Sustentare tem se esforçado para fazer a varrição de Guarulhos satisfatoriamente, mas não tem obtido sucesso. Pior ainda quando locais que foram varridos por uma de suas equipes num determinado dia, recebem os trabalhadores da Secretaria de Serviços Públicos para capina do mato do meio fio e nova varrição. Essas batidas de cabeça custam caro para o município.

Viaduto

Mesmo após ter recebido uma nova denominação, o Viaduto Cidade de Guarulhos, agora também Prof. Antônio Veronezi, parece que não está recebendo o devido cuidado em sua manutenção. Tanto na parte superior como na inferior. Aliás, embaixo do viaduto nada lembra que essa obra é a primeira com essa técnica no Brasil e, quando construído, também era o maior vão livre do país. Homenagem só é boa quando sempre lembrada.

Ratos no Legislativo

Não bastasse o caso dos pombos que invadiram a Câmara de Guarulhos e promoveram até um embate entre o presidente Fausto Miguel Martello e o vereador Geléia Protetor, agora são os ratos questão dominando o local. Telhados e corredores são pista para os roedores. A direção da Casa já acionou Geléia pra saber se pode tomar providências, afinal, quem criou os pombos também criou os ratos, argumento que o parlamentar usou ao defender a praga urbana.

- PUBLICIDADE -