Iniciado processo de instalação de energia solar na Câmara

Foto: Waltair Martão

Foi iniciado, na manhã desta quinta-feira (14), o processo de instalação dos painéis de energia solar na Câmara de Guarulhos. O engenheiro Pedro Gomes, diretor da empresa Rad Energy, que foi a vencedora do processo de licitação, explicou que o contrato firmado com o Legislativo engloba a instalação de 616 painéis solares de 450 watts, com 250 quilowatts de inversor, suficientes para suprir a demanda atual de energia da Câmara.  

“A instalação é subdividida em fixação de estruturas, infraestrutura elétrica, montagem dos módulos e testes finais. Hoje, nós concluímos a instalação das estruturas. A montagem dos módulos deve ser iniciada daqui a uma semana, e a conclusão está prevista para o final de agosto, quando a Câmara já vai produzir sua própria energia”, informou o diretor da Rad Energy.   

A geração de energia fotovoltaica é feita a partir da transformação da iluminação solar em corrente elétrica, que é adequada para os padrões de 110 e 220 volts. “Se a Câmara não utilizar toda a energia gerada ao longo do dia, ela vai para a concessionária de energia elétrica e vira créditos, que são resgatados à medida em que aumenta o consumo. No final do mês, é calculado o que foi consumido menos o que foi gerado. Tendo uma geração suficiente para 100% do consumo, a Câmara vai pagar apenas as taxas mínimas administrativas”, disse Gomes. 

Segundo João Viseu, diretor de Assuntos Administrativos do Legislativo, a conta mensal de energia da Casa durante o verão, quando se intensifica o uso do ar-condicionado, fica em torno de R$ 50 mil mensais. “Com a implantação da energia fotovoltaica, o esperado é que essa conta caia praticamente para zero, ou seja, uma economia anual muito grande para os cofres públicos”, disse. 

Viseu destacou que a aquisição da sede própria do Legislativo possibilitou a realização desse projeto. “Essa ideia surgiu em 2017, mas a Câmara não tinha dinheiro na época para esse investimento. Depois da nossa mudança, com a economia de aluguéis, foi possível resgatar projetos como esse. Nossa próxima iniciativa deverá ser o aproveitamento de água de reuso, com a captação de água de chuva para usar, por exemplo, nas descargas dos banheiros e para lavar os pisos e os estacionamentos”, afirmou. 

- PUBLICIDADE -