O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Guarulhos está solicitando outorga para a captação de água do rio Jaguari, no Vale do Paraíba, junto ao Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee). Segundo o superintenden­te da autarquia, Afrânio de Paula Sobrinho, o volume de água disponibilizado seria suficiente para que a cidade não precisasse mais comprar água da Companhia de Saneamen­to Básico de São Paulo (Sabesp).

A outorga possibilitaria a destinação de 4.500 litros por segundo para o município. Hoje a deman­da é de 4.600 litros por segundo, mas apenas 4 mil litros por segundo são disponibilizados – sendo que 87% da água distri­buída são comprados da Sabesp.

Em 2014 o HOJE já havia revelado a intenção do Saae em conseguir a auto­rização para a captação no Jaguari. Uma permissão já havia sido solicitada pela autarquia em 2012, sendo negada pelo órgão estadu­al. Agora a solicitação está em análise junto ao Daee.

“O Jaguari é a mesma represa que a Sabesp está pleiteando para reforço da Região Metropolitana de São Paulo. Caso seja acei­to com esse investimento Guarulhos poderia aliviar o sistema metropolitano”, afirmou Sobrinho ontem durante audiência pública sobre o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO 2017.

Segundo o Daee, desde 2014 o Saae tem autoriza­ção para captação superfi­cial do manancial Engor­dador. Isso significa que a autarquia pode contratar e executar todo o projeto de obra para captação. Após isso deve solicitar o direito de uso para começar a captar e usar a água. Já a captação superficial no manancial Barrocada está regularizada no órgão, conforme portaria Daee nº89, de 13/08/93, pelo período de 30 anos.

Reportagem: Rosana Ibanez
Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here