Apesar de paralisada no início de maio, as obras do lote 1 do trecho Norte do Rodoanel não sofreram alteração de seu crono­grama. A informação é do engenheiro-chefe do Desenvolvimento Rodovi­ário S/A (Dersa), Pedro da Silva. “A nossa projeção é factível, e as obras serão entregues no prazo estipu­lado”, garantiu.

As obras foram reto­madas na sexta (3) e, segundo a Dersa, foram mobilizados cerca de 560 trabalhadores e 130 equipamentos. O consórcio responsável pelo lote, formado pelas construtoras Mendes Jr. e Isolux Corsán, havia sido ameaçado de rompimento de contrato, assinado em 2013 no valor de R$ 647,6 milhões, após a companhia constatar des­mobilização de homens e máquinas no início de maio.

Com previsão de término em março de 2018, a cons­trução do Rodoanel Norte foi dividida em seis lotes, com contratos que somam R$ 3,9 bilhões. Até o mo­mento foram concluídos 40% da obra. A rodovia cortará algumas cidades da Grande São Paulo, in­cluindo Guarulhos. Segun­do Silva o maior desafio na obra será um túnel. “Ele tem 1.100 metros e sem dúvidas demandará muito trabalho”.

A Dersa não descarta uma nova paralisação, pois os consórcios pedem que um aditivo, que au­mentaria o custo dos ser­viços para R$ 716 milhões, seja assinado pela estatal. Há ainda a possibilidade de que o contrato seja rescindido.

Reportagem: Gustavo Druzian
Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here