Almoço servido no Taboão não chega a 20% do estimado pela prefeitura

A quantidade de almoços servidos diariamente no Restaurante Popular de Solidariedade Josué de Castro, no Taboão, não chega a 20% do total estimado pela prefeitura para a unidade. Por dia o local tem capacidade para oferecer três mil refeições, no entanto apenas 550 são servidas atualmente.

Mesmo sendo considerado o maior restaurante popular do país, no primeiro trimestre deste ano, segundo dados da Coordenadoria do Fundo Social de Solidariedade, foram servidos 49.529 almoços no local, já representando uma queda em relação a quantidade oferecida em igual período de 2015 que totalizou 62.036 refeições. Orçada em R$ 5,3 milhões as obras do Taboão foram concluídas em dezembro de 2013 depois de uma série de atrasos.

A mesma queda pode ser observada no Restaurante Popular de Solidariedade Zilda Arns, Macedo, que nos primeiros três meses deste ano serviu 50.919 almoços contra 64.863 refeições no mesmo período de 2015. Isso significa que diariamente são oferecidos 565 almoços quando a estimativa era de 1.300. No total em todo o ano passado os dois restaurantes juntos serviram 536.976 almoços.

Além da baixa quantidade de refeições servidas, Guarulhos ainda perdeu uma unidade de restaurante popular que ficava localizado em Cumbica. O espaço foi fechado no ano passado devido a crise financeira que a prefeitura enfrenta. Na época havia a expectativa dele ser reaberto em outro imóvel, no entanto, segundo o Fundo Social não há previsões para a região.

Reportagem: Rosana Ibanez