Associação da PM estima ajudar 40 mil pessoas na cidade

A Associação dos Policiais Militares Portadores de Deficiência do Estado de São Paulo (APMDFESP) estima ajudar 40 mil pessoas na cidade. Segundo o representante do serviço na cidade Toninho Messias, os assistidos terão benefícios como cadeiras de rodas, fisioterapia, próteses e etc. “É um grande sonho meu que se realizou, sempre lutei para que este dia chegasse”, declarou Messias.

Nesta sexta-feira (22) foi inaugurada a primeira sede da associação em Guarulhos no campo das Faculdades Integradas de Guarulhos (FIG), na avenida Júlio Prestes, 89, no bairro Vila Galvão. Na ocasião, também estava presente, o presidente da APMDFESP, Elcio Inocente. “O nosso grande objetivo é ajudar um policial que mais precisa em um momento difícil”, comentou Inocente. Emocionado, o coronel Ítalo Cauzzo disse que isto é apenas o começo. “Temos muito trabalho pela frente, e acredito que com muita fé conseguiremos”.

Além das autoridades policiais, políticos também marcaram presença. O deputado estadual Gileno (PSL) chegou ao fim do evento para cumprimentar os organizadores. Já o pré-candidato a prefeitura Carlos Roberto (PSDB) ressaltou a importância da associação. “É um trabalho muito importante para estes heróis que se sacrificam para proteger a sociedade”.

Fundada em 1993, a APMDFESP nasceu de uma conversa no Centro Médico da Polícia Militar do Estado de São Paulo, onde policiais paraplégicos decidiram criar um Clube de Paraplégicos. Mas a ideia inicial evoluiu para uma associação porque isso facilitaria o trabalho. Em todo o estado, a associação conta com 25 mil sócios.

Reportagem: Gustavo Druzian