Com má gestão fiscal Guarulhos aparece apenas em 241ª posição em ranking estadual da Firjan

Com má utilização dos recursos municipais, a segunda maior cidade do Estado de São Paulo aparece apenas em 241ª posição no ranking estadual do Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) 2016, ano base 2015. O IFGF de Guarulhos ficou em 0.4864, apresentando ligeiro crescimento em relação ao ano anterior quando o índice era de 0.4845, mas permanecendo com conceito C. Já a nível nacional a cidade figura na 1816º lugar.

O IFGF é composto por cinco indicadores sendo receita própria, onde Guarulhos teve nota 0.9647; gastos com pessoal, com 0.6390; investimentos, 0.3003; custo da dívida, 0.5804 e liquidez, 0.0000. A pontuação varia entre 0 e 1, sendo que, quanto mais próximo de 1, melhor a gestão fiscal do município no ano em observação.

O índice é uma ferramenta de controle social que tem como objetivo estimular a cultura da responsabilidade administrativa, possibilitando maior aprimoramento da gestão fiscal dos municípios, bem como o aperfeiçoamento das decisões dos gestores públicos quanto à alocação dos recursos.

Lançado em 2012, o IFGF traz o debate sobre um tema de grande importância para o país: a forma como os tributos pagos pela sociedade são administrados pelas prefeituras. O índice é construído a partir dos resultados fiscais das próprias prefeituras – informações de declaração obrigatória e disponibilizadas anualmente pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Com base nesses dados oficiais, o IFGF 2016 avaliou a situação fiscal de 4.688 municípios. Apesar da determinação da lei, os dados do exercício fiscal 2015 de 880 prefeituras não estavam disponíveis ou não eram consistentes (informações que não foram passíveis de análise).

Reportagem: Rosana Ibanez