O governo federal pretende vender a participação da Infraero na concessão do GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica. A estatal possui 49% de participação no terminal desde 2012 quando a iniciativa privada assumiu a administração do maior terminal da América Latina.
Além de Cumbica, a Infraero também deverá deixar os terminais de Brasília, Viracopos (SP), Confins (MG) e Galeão (RJ). A informação foi confirmada nesta semana pelo ministro dos Transportes, Maurício Quintella. Segundo ele, a intenção é decidir a questão até o fim do ano, quando a saída da estatal será feita.

A Infraero tem 49% de participação nos cinco aeroportos sob concessão. Os outros 51%, e o controle da concessão, pertencem aos grupos privados que venceram os leilões, que ocorreram em 2012 e 2013.
Esses terminais estavam entre os mais rentáveis sob controle da estatal, que acabou perdendo receitas após o leilão deles. Além disso, como sócia, a estatal também precisa investir recursos nas obras de ampliação e melhoria desses terminais, o que exige repasses de recursos pelo governo. Com a crise econômica, a queda da arrecadação e o desequilíbrio das contas públicas, o governo Michel Temer pretende agora se desfazer das participações da Infraero.

Além disso, a participação da estatal nos próximos leilões já havia sido descartada pelo governo. Devem ser leiloados os aeroportos de Florianópolis, Salvador, Fortaleza e Porto Alegre, hoje administrados pela Infraero. A previsão é que o governo arrecade pelo menos R$ 3 bilhões com o leilão.

Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here