Exame da Unesp exigiu mais interpretação, dizem professores

De acordo com Marcelo Dias Carvalho, coordenado geral do curso Etapa, o vestibular da Unesp foi bem montado e bem distribuído, com enunciados claros e cobrança inteligente de conteúdo por meio de gráficos e de textos.
Para ele, apesar de em alguns pontos a prova se assemelhar ao Enem, não dá para dizer que ela é mais fácil. “São diferentes. Talvez o aluno fale que goste mais da prova Unesp por achá-la menos cansativa”, diz.
De acordo com Vera Lúcia da Costa Antunes, coordenadora do colégio e do cursinho Objetivo, a prova deste ano não foi diferente do padrão de provas proposto pela Unesp. “Foi bem no vestibular o aluno que tem domínio de interpretação de texto”, comenta. “É uma prova bem elaborada e sem ambiguidade. Bem mais clara que o Enem”, completa.

Para Vera, a prova de História pode ter gerado maior dificuldade entre os concorrentes. “Ela traz as perguntas de uma forma diferente, sempre partindo de um texto ou uma imagem”, afirma. “O aluno bem preparado conseguiu fazer, o que decora o conteúdo, não”.
Porém, para Célio Tasinafo, diretor-pedagógico do curso e colégio Oficina do Estudante em Campinas (SP), o vestibular deste ano da Unesp apresentou temas recorrentes dos últimos três anos com repetição de autores e assuntos.

“Prova com temas e questões que já apareceram em provas recentes. Parece prova de questionário, com questões previsíveis e sem exigir muito dos estudantes”, disse Tasinafo.
Os temas e assuntos repetidos, Tasinafo cita textos de Gregório de Matos e Arthur Schopenhauer, o quadro Abaporu, de Tarsila do Amaral, efeito estufa, protocolo de Kyoto entre outros. “Apesar da repetição de temas, o candidato se deparou com algumas novidades, como a temática da cultura do estupro e em vez de dengue, chikungunya.”
A prova, que tem duração de 4 horas e 30 minutos, foi realizada em 31 cidades paulistas e em Brasília (DF), Campo Grande (MS) e Uberlândia (MG).

Nesta primeira etapa, os estudantes realizam a prova de conhecimentos gerais, composta por 90 questões de múltipla escolha divididas igualmente em três áreas: “linguagens e códigos” (que engloba língua portuguesa, literatura, língua inglesa, educação física e arte), “ciências humanas” (história, geografia, filosofia e sociologia) e “ciências da natureza e matemática” (biologia, física, matemática e química).

RESULTADOS
A lista de convocados para segunda fase será divulgada no dia 2 de dezembro no site da Vunesp e na página oficial do vestibular da Unesp. Nos dias 18 e 19 de dezembro, os candidatos selecionados realizarão a segunda fase do exame, com quatro horas e meia de duração cada dia.
No primeiro, os estudantes responderão a 24 questões, sendo 12 de ciências humanas e 12 de ciências da natureza e matemática. No segundo dia, eles farão uma redação e responderão a 12 questões de linguagens e códigos.
A lista de classificação geral será divulgada no dia 3 de fevereiro de 2017.
Este ano, a instituição oferece 7.365 vagas em 173 cursos de 23 cidades, sendo 45% (3.341 vagas) destinadas ao Sistema de Reserva de Vagas para Educação Básica Pública. No ano passado, a proporção de matriculados egressos de escolas públicas foi de 46,6%.

ABSTENÇÕES
A primeira fase do vestibular 2017 da Unesp registrou 7,7% de abstenção, de acordo com a Vunesp, fundação responsável pelo processo seletivo.
Dos 102.134 vestibulandos, 7.862 não compareceram ao exame neste domingo. Na edição do ano passado, o índice de ausentes foi de 8,3%. As cidades com os maiores índices foram São Paulo (1.695), Bauru (520) e São José do Rio Preto (508).

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)